Trocas de esquema de dupla antiagregação: quando e como realizá-las?

Cambio de doble antiagregación ¿Cuándo y cómo realizarlo?

dupla antiagregação plaquetária com aspirina mais um inibidor do receptor P2Y12 é o tratamento de escolha em pacientes que estão cursando uma síndrome coronariana aguda que recebem angioplastia coronariana. Há vários inibidores orais do receptor P2Y12 (clopidogrel, prasugrel e ticagrelor) que possuem eficácia, risco de sangramento, custo e esquema de administração diferentes. Nesse sentido, é relativamente frequente que os médicos queiram trocar uma droga por outra de acordo com o panorama clínico específico que se apresente.

doble antiagregación plaquetaria

A recente introdução do inibidor endovenoso do receptor P2Y12 (Cangrelor) adiciona ainda mais possibilidades de “switch”, mesmo considerando o fato de esta droga ainda não ter chegado à prática clínica.


Leia também: A complexidade da angioplastia pode definir o tempo de dupla antiagregação”.


Este consenso de especialistas proporciona uma revisão das diferentes características farmacológicas das drogas e recomendações sobre como trocar uma droga por outra de acordo com o panorama clínico.

 

Na fase aguda (dentro dos 30 dias do evento índice) deve ser administrada uma dose de carga na maioria dos casos com a exceção daqueles pacientes que estão realizando uma desescalada do esquema devido a um evento hemorrágico ou temor de que isso ocorra (por exemplo, de ticagrelor ou prasugrel a clopidogrel). Neste último caso, parece razoável continuar com 75 mg de clopidogrel diretamente administrado 24 horas após a última dose de prasugrel ou ticagrelor.

 

Para aqueles pacientes que se encontram recebendo clopidogrel e seja considerada uma escalada no esquema pelo fato de o mesmo ter apresentado um evento trombótico, deve-se administrar uma dose de carga de 60 mg de prasugrel ou 180 mg de ticagrelor sem importar em que horário tenha recebido a última dose de clopidogrel.


Leia também: TCT 2017 | SENIOR: DES com polímero reabsorvível e tempo de dupla antiagregação curto em pacientes idosos”.


Na fase tardia (para além dos 30 dias do evento índice) a troca pode ser feita com a administração da dose de manutenção 24 horas após a última dose do antiplaquetário anterior, excetuando-se aqueles pacientes que estiverem passando de ticagrelor a prasugrel, casos nos quais se deve considerar uma dose de carga.

 

Na desescalada de ticagrelor a clopidogrel deve-se considerar a administração de uma dose de carga de 600 mg de clopidogrel 24 horas após a última dose de ticagrelor, excetuando-se aqueles pacientes que tenham o sangramento como justificativa da desescalada. Nestes últimos pacientes, deve-se considerar continuar com 75 mg de clopidogrel 24 após a última dose de ticagrelor ou prasugrel.


Leia também: Suspender a dupla antiagregação gera mais eventos trombóticos em 12 meses”.


Sem dúvida os panoramas clínicos são diversos, mas também há outras variáveis. Infelizmente é relativamente frequente a necessidade de passar de ticagrelor a clopidogrel porque o paciente não pode cobrir o custo da medicação ou porque tem limitações cognitivas que fazem com que a administração do primeiro a cada 12 horas se constitua em uma dificuldade extra.

 Cambio de doble antiagregación ¿Cuándo y cómo realizarlo?

Título original: International Expert Consensus on Switching Platelet P2Y12 Receptor–Inhibiting Therapies.

Referência: Dominick J. Angiolillo et al. Circulation. 2017;136:1955–1975.


Gostaria de receber um resumo semanal com os últimos artigos científicos?








Sua opinião nos interessa. Pode deixar abaixo seu comentário, reflexão, pergunta ou o que desejar. Será mais que bem-vindo.

Authors

*

Top