Anéis aórticos pequenos: que válvula deveríamos escolher?

Anillos aórticos pequeños, ¿Qué válvula deberíamos elegir?

Gentileza do Dr. Carlos Fava.

Os implantes valvares aórticos em anéis pequenos (< 400 mm2) se associam a uma menor durabilidade, maior deterioro da válvula e uma incompatibilidade entre o paciente e a prótese (PPM, do inglês, prosthesis-patient mismatch).

Anillos aórticos pequeños, ¿Qué válvula deberíamos elegir?

O TAVI talvez seja uma opção, já que proporciona um resultado hemodinâmico superior e uma menor PPM menor.


Leia também: O FFR representa uma diminuição de sintomas para os pacientes e uma redução de custos para os financiadores da saúde”.


Realizou-se uma análise retrospectiva de 5 centros da Alemanha que incluiu 246 pacientes com anel pequeno. Dentre eles, 129 receberam ACCURATE neo S e 117 receberam SAPIENS 3 23.

 

As características de ambos os grupos foram similares excetuando-se um menor anel nos pacientes que receberam ACCURATE neo (358 mm2 vs. 366 mm2; p = 0,004).

 

Para homogeneizar a amostra realizou-se um propensity score match, ficando 92 pares.


Leia também: Exposição à radiação em oclusões totais crônicas”.


A utilização de marca-passo transitório para o implante da válvula foi similar (12% para a ACCURATE neo e 15,2% para a SAPIENS 3).

 

Em 30 dias a mortalidade foi similar (ACCURATE neo 0% vs. SAPIENS 3 1%). Não houve diferenças no que se refere a AVC (3,3% vs. 3,2%), sangramento que comprometesse a vida (1,1% vs. 1,1%), complicações vasculares (2,2% vs. 6,5%), nem na necessidade de marca-passo definitivo (12% vs. 15,2%).

 

No eco-Doppler de 30 dias, a ACCURATE neo foi superior em termos de menor gradiente transvalvar (9,0 mmHg vs. 14,5 mmHg; p < 0,001), maior área do orifício efetivo (0,96 vs. 0,80 cm2/m2) e menor PPM (3% vs. 22%; p = 0,004). Tais dados se mantiveram em um ano. A presença de regurgitação paravalvar > moderada foi baixa (4,5% vs. 3,6%).


Leia também: FFR não invasivo: a tomografia evolui da anatomia ao funcional”.


A mortalidade em um ano foi menor numericamente (embora não tenha alcançado a significância estatística) no grupo ACCURATE (8,3% vs. 13,3%).

 

Conclusão

Embora ambas as válvulas tenham apresentado o mesmo perfil de segurança, a ACCURATE neo ofereceu menor gradiente transvalvar e menor PPM em comparação com a SAPIENS 3 em pacientes com anel pequeno. Ditos resultados enfatizam a necessidade de uma escolha cuidadosa naqueles pacientes que apresentam anéis pequenos.

 

Comentário

Apesar de ambas as válvulas terem sido seguras, a necessidade de marca-passo ter sido similar e a necessidade de pré-dilatação ter sido maior com a ACCURATE (sem ter tido um impacto negativo), esta válvula demonstrou um melhor perfil hemodinâmico e um menor PPM em um ano.

 

Portanto, este estudo demonstra que devemos ser muito cuidadosos na escolha da válvula para este grupo, e que deveríamos preferir a ACCURATE nesta situação particular.

 

São necessárias mais investigações, assim como o desenvolvimento de novas válvulas para este grupo.

 

Gentileza do Dr. Carlos Fava.

 

Título original: Short-term oputcome and Hemodynamic performance of Next-Generation Self-Expanding Versus Balloon-Expandable Trancatheter Aortic Valves in Patients With Small Aortic Annulus. A Multicenter propensity-Matched comparison.

Referência: Victor Mauri, Circ Cardiovasc Interv 2017;10e005013.


Gostaria de receber um resumo semanal com os últimos artigos científicos?








Sua opinião nos interessa. Pode deixar abaixo seu comentário, reflexão, pergunta ou o que desejar. Será mais que bem-vindo.

 
Authors

*

Top