Dispneia e oclusões totais crônicas: um sintoma que podemos aliviar (ou ao menos tentar aliviar)

Disnea y oclusiones totales crónicas: un síntoma que podemos aliviar (o al menos intentarlo)

A dispneia é um dos sintomas mais desafiantes de valorar e tratar em pacientes com doença coronariana devido ao fato de poder ter várias causas, tanto cardíacas como não cardíacas.

Disnea y oclusiones totales crónicas: un síntoma que podemos aliviar (o al menos intentarlo)

Os pacientes que se apresentam com dispneia como único sintoma de sua doença coronariana estão mais expostos a não receber um tratamento adequado e têm uma pior avaliação a curto e longo prazo.


Leia também: Exposição à radiação em oclusões totais crônicas”.


O anteriormente afirmado explica por que às vezes é difícil interpretar a dispneia como um equivalente anginoso. Isso pode ser ainda mais difícil no contexto de uma oclusão total crônica.

 

O registro OPEN CTO (Outcomes, Patient health status, and Efficiency iN Chronic Total Occlusion) foi realizado em 12 centros experimentais dos Estados Unidos e incluiu 987 pacientes que receberam angioplastia (o sucesso do procedimento foi de 82%) e que foram avaliados com a escala de dispneia de Rose (de 0 a 4, onde quanto maior o valor, maior a dispneia nas atividades cotidianas).

 

Um total de 800 pacientes (81%) relataram algum grau de dispneia basal com uma média na escala de Rose de 2,8 ± 1,2. A melhora foi definida com a diminuição de pelo menos um ponto na escala.


Leia também: Devemos começar a utilizar IVUS nas CTO?”


Os pacientes com dispneia foram mais frequentemente mulheres, obesos, fumantes e com maiores comorbidades que aqueles que apresentavam angina como sintoma.

 

Entre aqueles pacientes que apresentavam dispneia basal, 70% relatou melhora da mesma após uma recanalização bem-sucedida de sua oclusão total crônica.

 

A anemia, a depressão e doença pulmonar se associaram a uma menor melhora dos sintomas após a angioplastia.

 

Conclusão

A dispneia é um sintoma comum entre aqueles pacientes com oclusões totais crônicas e melhora significativamente após uma recanalização bem-sucedida. Aqueles pacientes com causas potencialmente não cardíacas de dispneia têm menores benefícios após a angioplastia.

 

Título original: Dyspnea Among Patients With Chronic Total Occlusions Undergoing Percutaneous Coronary Intervention Prevalence and Predictors of Improvement.

Referência: Mohammed Qintar et al. Circ Cardiovasc Qual Outcomes. 2017 Dec;10(12).


Gostaria de receber um resumo semanal com os últimos artigos científicos?








Sua opinião nos interessa. Pode deixar abaixo seu comentário, reflexão, pergunta ou o que desejar. Será mais que bem-vindo.

Authors

*

Top