5 anos da válvula autoexpansível em risco extremo

Os pacientes com estenose aórtica e risco cirúrgico extremo têm uma altíssima mortalidade devido às comorbidades já conhecidas. O benefício a curto prazo do TAVI com a válvula autoexpansível é muito claro e justifica o procedimento nesta população desafiante. 

Post-dilatación de válvulas autoexpandibles

Os idosos com comorbidades que apresentam um risco cirúrgico extremo podem ser candidatos apropriados para o implante percutâneo da valva aórtica (TAVI), embora o risco de futilidade esteja sempre à espreita. 

O CoreValve US Extreme Risk Pivotal, publicado no Circulation, apresenta os resultados da válvula autoexpansível supra-anular CoreValve 

O desfecho primário do estudo foi a morte por qualquer causa ou o AVC maior. Entre os secundários foram definidos os parâmetros ecocardiográficos e a qualidade de vida. 

Seiscentos e trinta e nove pacientes de risco cirúrgico extremo foram incluídos de maneira prospectiva entre 2011 e 2012 (idade média 82,8 ± 8,4 e STS para mortalidade 10,4 ± 5,6%).

Em 5 anos a taxa de morte ou AVC maior foi de 72,6%, um número altíssimo que deve ser interpretado no contexto do risco intrínseco da população. Setenta e sete por cento dos pacientes foram abordados por acesso femoral e não foram observadas diferenças com acesso alternativos (algo que ocorreu em outras séries).


Leia também: Que endoleaks tipo 2 devem ser tratados?


Entre os poucos afortunados que sobreviveram até os 5 anos de seguimento e puderam ser submetidos a um ecocardiograma, observou-se um gradiente transvalvar de 7,5 ± 5,9 mmHg e 3,1% de insuficiência valvar moderada/severa. Isso confirma o bom desempenho hemodinâmico da válvula a longo prazo. 

A qualidade de vida basal melhorou significativamente 1 mês após o procedimento para começar a cair gradualmente a partir de 1 ano e até os 5 anos. Apesar da queda gradual, em 5 anos a qualidade de vida continuou sendo significativamente melhor que a basal. 

Conclusão

Os pacientes com estenose aórtica severa e risco cirúrgico extremo que são submetidos a TAVI com a prótese autoexpansível têm uma alta mortalidade em 5 anos. De qualquer forma, o enorme benefício a curto prazo somado a uma melhora persistente na qualidade de vida no seguimento de 5 anos entre os sobreviventes justifica claramente o procedimento. 

Título original: Five-Year Clinical and Quality of Life Outcomes From the CoreValve US Pivotal Extreme Risk Trial.

Referência: Suzanne V. Arnold et al. Circ Cardiovasc Interv. 2021 Jun;14(6):e010258. doi: 10.1161/CIRCINTERVENTIONS.120.010258.


Gostaria de receber um resumo semanal com os últimos artigos científicos?

*

Top