Tag Archives: implante percutâneo da válvula aórtica

¿Fin de la discusión sobre el impacto del marcapaso post TAVI?

Estratégia MIDAS: minimizar a profundidade do implante de acordo com o septo membranoso

Estratégia MIDAS: minimizar a profundidade do implante de acordo com o septo membranoso

O implante de marca-passo após o implante percutâneo da valva aórtica (TAVI) continua sendo uma complicação bastante frequente. Embora a evidência acerca do real impacto desta complicação sobre o prognóstico seja controversa, não deixa de ser um custo para o sistema de saúde e um incômodo para o paciente.  Este trabalho, que proximamente será publicado

É necessário contar com uma sala de cirurgia híbrida para aumentar a segurança no TAVI

Segundo este subestudo do registro FRANCE TAVI a mortalidade do implante percutâneo da valva aórtica realizado em salas de cirurgia híbridas vs. salas de hemodinâmica convencionais é similar. Estes achados respaldam a realização dos procedimentos em salas convencionais, juntamente com sua expansão, melhorando a logística e os custo de organização. Este trabalho comparou os resultados

ACC 2019 | TAVI en bicúspides es seguro y factible en pacientes seleccionados del mundo real

ACC 2019 | TAVI em bicúspides é seguro e factível em pacientes selecionados do mundo real

Os especialistas não entram em acordo sobre o fato de ser necessário ou não um estudo randomizado que encerre a discussão, mas parece claro que o TAVI é uma opção somente para determinadas anatomias quando nos referimos à última geração da válvula expansível por balão. De acordo com este novo registro, o TAVI em uma

TCT 2018 | Mismatch post TAVI según el registro TVT

TCT 2018 | Mismatch pós TAVI segundo registro TVT

O mismatch (uma desproporção entre o tamanho da prótese implantada e o tamanho do paciente) em pacientes submetidos a cirurgia está associado a piores resultados. Isso poderia ocorrer também no caso das próteses percutâneas, embora até o momento o tema não tenha sido bem estudado. O trabalho apresentado no TCT 2018 e simultaneamente publicado no

Baixo gradiente e disfunção ventricular: deve-se ou não indicar TAVI?

Título original: Impact of ejection fraction and aortic valve gradient on outcomes of transcatheter aortic valve replacement. Referência: Baron SJ et al. J Am Coll Cardiol. 2016;67:2349-2358.   O gradiente baixo e a disfunção ventricular são frequente nos pacientes com estenose aórtica severa que recebem implante percutâneo da válvula aórtica (TAVI), mas só o baixo

Top