Doença coronária articles

Novedades en las guías de prevención primaria de la AHA/ACC

Devemos fazer testes funcionais na ATC de alto risco?

Devemos fazer testes funcionais na ATC de alto risco?

Como é de público conhecimento, as revascularizações coronarianas têm crescido de forma significativa com o passar dos anos, mas um dos grandes interrogantes continua sendo quando fazer a avaliação funcional.  As diretrizes recomendam realizar um teste funcional com imagens após os 6 meses nos pacientes de alto risco (recomendação IIb), em um ano naqueles que

Efecto a largo plazo de los balones liberadores con bajas dosis de paclitaxel

Utilidade da avaliação por FFR derivado de OCT sobre resultados clínicos em pacientes com SCA

É bem conhecido na atualidade que os pacientes que cursam uma síndrome coronariana aguda (SCA) se beneficiam com a revascularização percutânea. Contudo, a isquemia residual após uma angioplastia coronariana (ATC) está associada a um pior prognóstico. A angiografia e as imagens intravasculares são úteis para avaliar os resultados posteriores a uma intervenção, mas estão limitadas

IVUS vs OCT para guiar la angioplastia ¿Cuál elegir?

Dispositivos para preparar as lesões severamente calcificadas: há diferenças entre eles quando são avaliados mediante imagens intravasculares?

As lesões coronarianas calcificadas acometem 25% dos pacientes que são submetidos à ATC e sua presença tem um impacto negativo nos resultados de longo prazo. Ditas lesões geram uma dificuldade na expansão do stent e acarretam um aumento da falha dos dispositivos, mesmo dos stents de última geração eluidores de fármaco. Por tal motivo surge

struts ultrafinos

Devemos começar a utilizar stents ultrafinos?

São bem conhecidos os benefícios dos DES e a evolução desencadeada com os polímeros (e inclusive, em alguns casos, sem polímeros). No entanto, o tamanho das hastes é importante e pode fazer a diferença, já que um menor tamanho se relaciona com melhor navegabilidade, perfil de cruzamento mais simples nas bifurcações, melhor endotelização e cicatrização.

TCT 2022

TCT 2022 | BYPASS CTCA

Estudos demonstraram que o uso de coronariografia por tomografia computadorizada antes da cinecoronariografia em pacientes previamente submetidos a cirurgia de by-pass aórtico (CRM) pode reduzir o tempo do procedimento e a injúria renal pós-procedimento. 1 de cada 5 pacientes com cardiopatia isquêmica com antecedente de CRM precisam ser avaliados mediante cinecoronariografia dentro dos 3 anos

Dietas bajas en carbohidratos y progresión de la calcificación coronaria

Lesões calcificadas: OCT de estratégias para a preparação de placa

A calcificação vascular é um preditor de dificuldade no posicionamento do stent e em sua expansão, o que aumenta a probabilidade de falha do dispositivo (incluindo os stents de última geração). Com o objetivo de diminuir essas dificuldades, foram sendo desenvolvidas e aperfeiçoadas distintas estratégias modificadoras do cálcio.  Dois recentes estudos randomizados compararam diversos dispositivos

TCT 2022

TCT 2022 | FAME-3 Trial: FFR pós-ATC e IVUS em pacientes com doença coronariana de três vasos que são submetidos a angioplastia

Já são conhecidos os benefícios da medição do Fluxo Fracionado de Reserva (FFR) na avaliação das estenoses nas artérias coronarianas. A avaliação do FFR posterior à realização de ATC (FFR pós-ATC) demonstrou seu valor prognóstico, porém poucos estudos incluíram pacientes com doença coronariana complexa de três vasos. O impacto do ultrassom intravascular (IVUS) ou da

TCT 2022

TCT 2022 | Angioplastia vs. Cirurgia: resultados a longo prazo do estudo BEST

O estudo BEST foi um trabalho prospectivo e randomizado que teve como objetivo comparar a angioplastia coronariana (ATC) com stents eluidores de everolimus vs. a cirurgia de revascularização miocárdica (CRM) em pacientes com doença de múltiplos vasos.  A análise foi detida de forma precoce por uma lenta inclusão de pacientes. Foram incluídos 880 pacientes, 438

técnica retrógrada para oclusiones crónicas

Abordagem retrógrada em CTO: diferenças na tentativa primária vs. secundária

As oclusões totais crônicas abordadas de maneira bem-sucedida se encontram em um constante crescimento, sobretudo em centros de grande volume, ao contar com material mais dedicado e distintas técnicas de abordagem, como a retrógrada. Mas, apesar de ter aumentado significativamente o índice de sucesso com essa técnica, também aumentaram as complicações relacionadas com a mesma. 

¿Se justifica utilizar filtro de protección distal en los puentes venosos?

Mortalidade e sangramento na escolha do acesso: revisão sistemática

Em 1992, Kiemeneij realizou o primeiro procedimento coronariano por via radial, depois da descrição do acesso feita por Campeau em 1989. 30 anos transcorreram desde esse acontecimento na cardiologia intervencionista. Ao longo dos anos a quantidade de procedimentos realizados por essa via vem aumentando exponencialmente, sendo hoje a principal abordagem na maioria dos centros, nos

Nueva y discrepante información sobre los vasos no culpables en el infarto

Pré-tratamento com heparina em tratamento do SCACEST: uma nova velha aliada?

Não há dúvida de que o tratamento da síndrome coronariana aguda com elevação do ST (SCACEST) é a terapia de reperfusão com angioplastia primária (PCI), bem como o pré-tratamento com antiagregantes mais potentes têm o seu lugar como parte da terapia do SCA. Em alguns centros se realiza também pré-tratamento com heparina não fracionada (HNF)

Top