Doença coronária articles

Tasa de stroke post cirugía vs angioplastia coronaria en un análisis de más de 10.000 pacientes

Dados do EXCEL: angioplastia vs. cirurgia em pacientes com AVC prévio

Dados do EXCEL: angioplastia vs. cirurgia em pacientes com AVC prévio

É provável que, ao lermos o título acima, concluamos (e como editor desta página incluo-me no coro): os pacientes com AVC prévio se beneficiam com uma revascularização menos invasiva como a angioplastia. Entretanto, estes dados do EXCEL nos dizem que os pacientes com lesão de tronco de coronária esquerda e antecedentes de doença cerebrovascular não

Lo más leído de Marzo en Solaci.org

Os Artigos Mais Lidos de Março em Cardiología Intervencionista

1- O que fazer com níveis de pressão entre 130/80 e 139/89 mmHg? A decisão a tomar em um paciente livre de tratamento que apresenta cifras de tensão arterial acima de 160 mmHg de sistólica ou 100 mmHg de diastólica é fácil e está respaldada pelos guias: é necessário iniciar o tratamento imediatamente juntamente com

La complejidad de la angioplastia puede definir el tiempo de doble antiagregación

Sopesar o risco de sangramento vs. trombose para definir o tempo de dupla antiagregação

Os pacientes submetidos a angioplastias complexas têm um maior risco isquêmico e só se beneficiam de um tempo maior de dupla antiagregação se nenhum risco de sangramento estiver presente na equação. Estes dados sugerem que o risco de sangramento – mais que o risco isquêmico – deve ser levado em consideração para determinar a duração

Costos hospitalarios y de las complicaciones de las oclusiones totales crónicas

Custos hospitalares e das complicações das oclusões totais crônicas

Vale a pena recanalizar uma oclusão total crônica? Esta pergunta ainda circula nos diferentes trabalhos, todos com foco nos desfechos clínicos. Este trabalho (que será proximamente publicado no J Am Coll Cardiol Intv.) analisa outro aspecto, que é o custo, não só da quantidade de materiais que podemos chegar a utilizar para ter sucesso, mas

DES de 2.0 mm para vasos muy pequeños: ¿Es viable?

Os DES e os DEB apresentam resultados similares no território femoropoplíteo

Gentileza do Dr. Carlos Fava. As intervenções periféricas se encontram, atualmente, em ascensão e o desenvolvimento das tecnologias nos stents e nos balões ajudaria a obter melhores resultados. Tanto os stents eluidores de droga (DES) como os balões farmacológicos (DEB) têm demonstrado benefício no território femoropoplíteo, mas não fica claro qual é o verdadeiro papel

ACC 2019 | SAFARI: sorpresivamente, el acceso radial no ofrece ventajas en el infarto

ACC 2019 | SAFARI: surpreendentemente, o acesso radial não oferece vantagens no infarto

Este trabalho não conseguiu mostrar vantagens em termos de mortalidade ou sangramento ao usar o acesso radial vs. o acesso femoral em pacientes cursando um infarto agudo do miocárdio. Este estudo pequeno não muda as coisas para todos os “radialistas” que já transitaram a curva de aprendizagem e que se sentem confiantes com a técnica.

ACC 2019 | Infartarse muy joven o 10 años después no cambia la mortalidad a largo plazo

ACC 2019 | Sofrer um infarto quando se é muito jovem ou 10 anos mais tarde não muda a mortalidade a longo prazo

Segundo o registro YOUNG-MI, apresentado nas sessões científicas do ACC 2019, aqueles pacientes que sofreram seu primeiro evento coronariano antes dos 40 anos apresentam uma mortalidade a longo prazo similar àqueles que sofreram seu primeiro infarto 10 anos mais tarde. A prevenção secundária deve ser usada de maneira tão agressiva nos pacientes como se faz

DES de 2.0 mm para vasos muy pequeños: ¿Es viable?

Stents farmacológicos vs. balões farmacológicos em reestenose intrastent

A teoria de não agregar uma nova camada de metal na artéria soava atraente e foi o que motivou o surgimento dos balões farmacológicos como uma estratégia para tratar a reestenose intrastent. “Já há um stent prévio, só é necessário dilatar e deixar a droga”, era o que dizíamos quando surgiu esta tecnologia. O resultado

La recanalización de las CTO mejora la calidad de vida

CTO: o acesso radial com resultados similares ao femoral

Gentileza do Dr. Carlos Fava. Um dos inconvenientes na estratégia das CTO é a utilização dos acessos femoral ou radial. Este último é mais seguro, mas ainda não foi bem analisado neste tipo de angioplastia. Foram analisados 3.709 pacientes submetidos a angioplastia de tronco da coronária (ATC) por CTO. Dentre eles, 2.157 (58,1%) receberam intervenção

reserva fraccional de flujo

FFR derivado da angiografia: software complicado ou realidade iminente?

O FFR derivado da angiografia pôde demonstrar sua grande utilidade, especialmente em pacientes com lesão de 3 vasos. O escore Syntax funcional derivado da angiografia tem o potencial de redefinir prognósticos e estratégias de tratamento em comparação com o clássico escore Syntax anatômico. O estudo teve como objetivo ver a aplicabilidade do método em pacientes

La enfermedad coronaria funciona como un predictor a 30 días en el TAVI

Doença coronariana sem sintomas, a isquemia silente é a dor de cabeça dos cardiologistas

Necessitamos mais evidências que nos guiem no tratamento da isquemia silenciosa. A doença coronariana demonstrada, mas em ausência de sintomas objetiváveis é um problema para os cardiologistas, já que nestes casos os mesmos não contam com a suficiente evidência que oriente no corte do risco/benefício que justifique a revascularização. Revascularizar o resultado de um estudo

Top