Doença vascular periférica articles

Un guiño para la trombólisis guiada por Catéter en tromboembolismo pulmonar

Terapêutica intervencionista em TEP: menos mortalidade e internações?

Terapêutica intervencionista em TEP: menos mortalidade e internações?

A doença tromboembólica venosa (DTV) representa uma das principais causas de morte de origem cardiovascular. O tromboembolismo pulmonar (TEP) pode variar, apresentando-se como assintomático ou, no extremo oposto, manifestando-se com choque e morte súbita, com um amplo espectro clínico. É fundamental fazer um acompanhamento intensivo dos pacientes afetados, já que se observou que aqueles que

Endarterectomia carotídea vs. angioplastia carotídea em pacientes sintomáticos e assintomáticos: resultados em 30 dias

A doença carotídea extracraniana representa entre 15% e 20% de todos os casos de acidente vascular cerebral (AVC). A revascularização carotídea desempenha um importante papel na prevenção primária e secundária de eventos cerebrovasculares. Duas estratégias de revascularização comuns são a endarterectomia carotídea (CEA) e a angioplastia carotídea com stent (CAS), tendo sido ambas objeto de

Nuevas estrategias en el territorio femoropoplíteo

Angioplastia com balões eluidores de fármacos em CTO femoropoplíteas: intraluminal ou subintimal?

Os pacientes com doença vascular periférica frequentemente apresentam comprometimento do território femoropoplíteo (FP). Estima-se que aproximadamente 50% das lesões nessa área são oclusões totais crônicas (CTO). Embora a taxa de sucesso técnico do tratamento das CTO periféricas tenha melhorado, ainda não estão completamente determinados os resultados clínicos a longo prazo.  Em investigações anteriores, foram avaliados

Enfermedad vascular periférica: nuestra realidad en LATAM. Registro LATAM SOLACI Peripheral

Doença vascular periférica: nossa realidade na América Latina. Registro LATAM SOLACI Peripheral

A doença vascular periférica crônica está em aumento e, nos últimos 20 anos, a angioplastia tem avançado consideravelmente graças ao desenvolvimento de diversos dispositivos, substituindo em grande medida a cirurgia na maioria dos cenários. Dito avanço tem demonstrado resultados similares mas com menos complicações e menos dias de internação.  Entretanto, a informação disponível sobre a

ACC 2024

ACC 2024 | IVUS-DCB

Os balões com fármaco (DCB) demonstraram ser eficazes no tratamento da patologia femoropoplítea, embora não estejam livres de complicações como o recoil, a estenose residual e as dissecções.  Uma preparação adequada do vaso realizada tanto antes quanto depois do procedimento poderia levar a resultados mais alvissareiros. A ecografia intravascular (IVUS) oferece a vantagem de caracterizar

Resultados del estudio COMPARE a 2 años: Balones cubiertos de Paclitaxel con bajas dosis vs altas dosis

Paclitaxel e mortalidade em intervenções vasculares periféricas: debate concluído?

Os dispositivos recobertos com paclitaxel (PCD) estiveram sob observação cuidadosa durante vários anos devido a uma metanálise publicada por Katsanos. Dita metanálise mostrou um aumento na mortalidade a longo prazo de até 2-5 anos nos pacientes que receberam PCD em comparação com dispositivos não recobertos no território femoropoplíteo.  O propósito por trás do uso desses

Resultados a 2 años de los stents liberadores de Zotarolimus vs stents libres de polímero liberadores de Biolimus. ¿Son seguros en pacientes con alto riesgo de sangrado?

Resultados do estudo IN.PACT em seguimento de 5 anos

A angioplastia transluminal percutânea (ATP) com balões eluidores de fármacos (DCB) tem demonstrado trazer mais benefícios do que a ATP convencional. Entretanto, em muitos casos, a implantação de um stent se torna necessária devido à dificuldade para alcançar um resultado satisfatório.  Embora haja abundante literatura sobre este tema, a durabilidade a longo prazo continua sendo

Acceso retrógrado mediante la arteria tibial para el tratamiento de oclusiones en territorio femoropoplíteo: ¿es una estrategia segura?

Tratamento de lesões no território femoropoplíteo com balões recobertos de fármacos em doses baixas vs. altas

O uso de balões recobertos de fármacos (DCB) experimentou um notável crescimento no âmbito do tratamento endovascular da doença arterial no território femoropoplíteo. Estudos prévios sobre os DCB de primeira geração com doses elevadas (HD-DCB) validaram seus benefícios, respaldando assim sua recomendação nos guias clínicos atuais. No entanto, foram relatados efeitos adversos vinculados ao paclitaxel

SAFE-AAA: ¿Son seguros los dispositivos Endologix en aneurisma de aorta abdominal? Seguimiento a 3 años

Hematoma intramural

O hematoma intramural (HIM) é considerado um subtipo das síndromes aórticas agudas (SAA) e alguns autores o descrevem como um estágio evolutivo que pode desencadear eventos de alta morbimortalidade, como a dissecção, aneurisma ou ruptura aórtica.  Um dos achados tomográficos associados ao HIM é o realce focal de contraste (RFC) dentro do hematoma, com uma

ATC guiada por iFR ¿es igual en la DA que en el resto de los vasos?

LIFE-BTK | Isquemia crítica de membros inferiores: uso de stents bioabsorvíveis em lesões infrapatelares

A doença arterial periférica provoca uma significativa limitação em pacientes em etapas avançadas, como a isquemia crítica de membros inferiores (ICMI), manifestando-se com dor em repouso e presença de gangrena ou úlceras de difícil resolução. A progressão não controlada de dita patologia pode desembocar em amputações maiores, na diminuição da expectativa de vida e no

Cilostazol en pacientes diabéticos con revascularización periférica endovascular: Un paso más allá de la mejoría sintomática

Cilostazol em pacientes diabéticos com revascularização periférica endovascular: um passo para além da melhora sintomática

Em pacientes com doença vascular periférica (EVP), a presença de diabete se associou significativamente com um aumento na falha do tratamento da isquemia crítica de membros inferiores (CLI), levando a uma maior incidência de amputações. Tal relação se atribui principalmente às comorbidades características desses pacientes, à neuropatia periférica concomitante e a uma marcante alteração microvascular.

Top