Farmacologia articles

El ticagrelor muestra beneficios en la función microvascular coronaria luego de un IAMSEST

Rivaroxabana para prevenção de trombo em ventrículo esquerdo após SCACEST

Rivaroxabana para prevenção de trombo em ventrículo esquerdo após SCACEST

A incidência da trombose (LVT) após o IAM com elevação do segmento ST anterior (IAMCEST) varia entre 4% e 26% e se associa a uma má evolução a longo prazo. No passado, a terapia com esquema triplo (antagonista da vitamina K mais DAPT) era recomendada como prevenção da LVT, apesar de não existir evidência científica

¿Llegó el momento de replantear a la aspirina como la elección en prevención secundaria de MACE?

Chegou o momento de recolocar a aspirina como a primeira opção em prevenção secundária de MACE?

Muito tem sido publicado recentemente sobre o tratamento abreviado com dupla antiagregação plaquetária (DAPT), tanto nas síndromes coronarianas agudas (SCA) quanto nas crônicas (SCC), bem como sobre a segurança observada em alguns trabalhos sobre a monoterapia com inibidores P2Y12.  Quando o assunto é prevenção secundária em pacientes com doença cardiovascular estabelecida, a aspirina (AAS) foi

Trombosis y riesgo de sangrado

WOEST 2 | Uso de esquema antitrombótico duplo vs. triplo no mundo real

O estudo WOEST constatou uma importante redução nas complicações por sangramento em pacientes pós-ATC com indicação de anticoagulação oral (OAC) quando foram tratados com esquema duplo (DAT) em comparação com esquema triplo (TAT). Vários estudos randomizados demonstram resultados similares. Atualmente as diretrizes recomendam o uso de esquema triplo em pacientes levando em consideração o risco

El ticagrelor muestra beneficios en la función microvascular coronaria luego de un IAMSEST

O ticagrelor mostra benefícios na função microvascular coronariana após um IAMSEST

A disfunção microvascular coronariana (CMD) é um importante preditor prognóstico a longo prazo. O tratamento da CMD pode ser uma estratégia terapêutica efetiva para os pacientes que cursam uma síndrome coronariana aguda (SCA). No entanto, são necessários mais estudos para avaliar as diferentes estratégias de tratamento.  No estudo PLATO (Study of Platelet Inhibition and Patient

COMPASS: un nuevo lugar para el rivaroxaban en cardiopatía isquémica crónica

RESTORE | Uso de rivaroxabana para prevenir oclusão da artéria radial depois de uma intervenção

O acesso radial já demonstrou há bastante tempo seu benefício, mas uma de suas complicações mais temíveis é a oclusão da artéria radial (RAO), que segundo diferentes séries pode variar entre 1% e 5%. Não há na atualidade informação importante sobre anticoagulação pós-procedimento e a presença de RAO no seguimento.  O objetivo do estudo randomizado

ACC 2022

ACC 2022 | ADAPT-TAVR: o Endoxabana não é melhor que a DAPT após o TAVI

O ADAPT-TAVR é um estudo randomizado no qual se testou o endoxabana em pacientes sem indicação de anticoagulação que tinham sido submetidos a TAVI por estenose aórtica severa sintomática de forma bem-sucedida.  O trabalho incluiu 229 pacientes com uma idade média de 80 anos. 42% eram homens. A randomização foi a receber 60 mg ou

ACC 2022

ACC 2022 | Estudo BENTRACIMAB

Foi apresentado este estudo em fase II, em população sadia entre 50 e 80 anos, evidenciando que o uso de bentracimab reverte o efeito antiagregante do ticagrelor. Foram incluídos 205 pacientes com uma idade média de 61 anos. 49% dos pacientes eram mulheres. Os pacientes foram tratados com aspirina e ticagrelor nas 48 horas prévias.

ACC 2022

ACC 2022 | estudo PACMAN AMI

As placas coronarianas que causam IAM frequentemente são de grande volume, alto conteúdo lipídico e uma fina camada fibrosa. O tratamento com estatinas diminui a progressão da aterosclerose mas o impacto do uso de inibidores de PCSK 9 (aloricumab) após a síndrome coronariana aguda não é bem recebido.  O objetivo deste estudo foi determinar o

ACC 2022

ACC 2022 – Estudo EDIT-CMD

Aproximadamente 40% dos pacientes que são submetidos a uma coronariografia por angina estável (episódios anginosos duas vezes por semana apesar do tratamento médico, com uma duração de três meses) não apresentam doença coronariana obstrutiva (ANOCA). A causa disso em aproximadamente 60%-90% é uma disfunção coronariana vasomotora (DCV) que pode ser interpretada como vasoespasmo ou disfunção

ACC 2022

ACC 2022 | Estudo VALOR-HCM: Mavacamten em adultos com MCH obstrutiva sintomática elegíveis para terapia de redução septal

Aproximadamente 50% das miocardiopatias hipertróficas (MCH) são obstrutivas, e dentro dessa porcentagem muitos dos sintomas podem ser atribuídos a essa condição. Em seu tratamento histórico foram usadas drogas não específicas como os betabloqueadores ou bloqueadores cálcicos.  Por sua vez, existe a opção de terapias de redução septal (TRS), que podem ser levadas a cabo através

ACC 2022

ACC 2022 – Estudo POISE-3: ácido tranexâmico, sangramento e eventos cardiovasculares em cirurgias não cardíacas

O ácido tranexâmico é um antifibrinolítico e há trabalhos que demonstram sua eficácia para a diminuição de sangramentos em pacientes ortopédicos e em cirurgias cardíacas. Entretanto a evidência em cirurgias não cardíacas ainda é limitada.  O objetivo deste trabalho consistiu em avaliar se o uso do ácido tranexâmico diminui a incidência de eventos de sangramento

Top