Farmacologia articles

anticoagulated patients that receive angioplasty

Beneficio da anticoagulação em idosos com fibrilação atrial

Beneficio da anticoagulação em idosos com fibrilação atrial

As diretrizes recomendam a anticoagulação oral para todos os pacientes ≥ 75 anos com fibrilação atrial. Há, no entanto, escassa evidência do benefício clínico específico em idosos.  Este trabalho analisou o benefício clínico específico por toda a vida nos pacientes de mais de 75 anos com fibrilação atrial tratados com varfarina ou apixabana em comparação

Resultados a 5 años del cierre de orejuela

Benefício clínico específico da oclusão do apêndice atrial esquerdo vs. anticoagulação na FA

Esta análise nos mostra que a longo prazo o benefício clínico específico da oclusão do apêndice atrial esquerdo com o dispositivo Watchman é superior ao da varfarina em pacientes com fibrilação atrial (FA). Os riscos periprocedimento iniciais decorrentes do implante do dispositivo são compensados com o tempo com a redução do risco de sangramento e

Treat Stroke to Target: terapia agresiva con estatinas post stroke

AHA 2019 | Treat Stroke to Target: terapia agressiva com estatinas pós-AVC

Segundo este trabalho apresentado nas sessões científicas do congresso AHA 2019 e simultaneamente publicado no NEJM, indicar estatinas para alcançar metas mais agressivas de LDL em pacientes que sofreram acidente isquêmico transitório ou um AVC isquêmico de origem aterosclerótica reduz significativamente os eventos cardiovasculares maiores.  O estudo foi detido prematuramente por falta de financiamento, mas

AHA 2019 | TWILIGHT: discontinuar la aspirina luego de un síndrome coronario agudo

AHA 2019 | TWILIGHT: descontinuar a aspirina após uma síndrome coronariana aguda

Os achados deste trabalho confirmam um menor sangramento sem ônus em termos de eventos trombóticos ao suspender a aspirina após uma síndrome coronariana aguda.  Na mesma linha que o TWILIGHT original, este trabalho pôs o foco unicamente em pacientes com síndromes coronarianas agudas (excluindo pacientes com supradesnivelamento do segmento ST) e confirmou que suspender a

AHA 2019 | GALILEO-4D: rivaroxabán y prevención de engrosamiento y trombosis de las valvas post TAVI

AHA 2019 | GALILEO: Rivaroxabana pós-TAVI, outra bela teoria que se choca contra a realidade

Em pacientes sem uma indicação formal para anticoagulação oral após o implante percutâneo bem-sucedido de uma valva (TAVI), a estratégia de tratamento com rivaroxabana 10 mg/dia se associou a um maior risco de morte ou de complicações tromboembólicas e, como se isso fosse pouco, com um maior risco de sangramento em comparação com a estratégia

AHA 2019 | GALILEO-4D: rivaroxabán y prevención de engrosamiento y trombosis de las valvas post TAVI

AHA 2019 | GALILEO-4D: rivaroxabana e prevenção de engrossamento e trombose das valvas pós-TAVI

Este subestudo do GALILEO se dedicou especificamente ao engrossamento e à redução do movimento normal das valvas pós-TAVI documentadas por tomografia 4D. O fato de a anticoagulação com rivaroxabana poder reduzir ou impedir este fenômeno era uma pergunta sem resposta até hoje.  Os pacientes receberam o mesmo esquema que no estudo geral (rivaroxabana mais aspirina

AHA 2019 | DAPA-HF: la dapagliflozina efectiva en todos los subgrupos con insuficiencia cardíaca

AHA 2019 | DAPA-HF: a dapagliflozina e sua efetividade em todos os subgrupos com insuficiência cardíaca

O inibidor do SGLT2, dapagliflozina, teve um impacto consistente para além do nível de glicemia, idade ou estado geral.  A dapagliflozina foi originalmente desenvolvida para o tratamento da diabetes tipo 2. No entanto, teve um impacto positivo em vários tipos de pacientes com insuficiência cardíaca crônica e deterioração da fração de ejeção, incluindo aqueles sem

AHA 2019 | COLCOT: Colchicina y la vuelta de la teoría antiinflamatoria

AHA 2019 | COLCOT: colchicina e o retorno da teoria anti-inflamatória

Baixas doses de colchicina parecem diminuir o risco de novos eventos cardiovasculares em pacientes com antecedente de infarto.  Esta droga está usualmente indicada como anti-inflamatória para a gota e a pericardite. Agora poderia, ademais, diminuir a taxa de eventos isquêmicos como prevenção secundária de acordo com o estudo COLCOT, apresentado durante as sessões científicas do

indicación de tratamiento con estatinas

Estatinas em prevenção primária: questionadas como a AAS?

Esta nova revisão recentemente publicada no BMJ questiona o benefício das estatinas em prevenção primária de pacientes de baixo risco. Os autores argumentam que as estatinas deveriam ser indicadas com maior precaução em prevenção primária considerando o fato de seu benefício absoluto ser quase marginal em pacientes de baixo risco.  As mudanças nas diretrizes europeias

¿Cuál es el mejor momento del día para administrar antihipertensivos?

Qual é o melhor momento do dia para administrar anti-hipertensivos?

Segundo este trabalho que proximamente será publicado no Eur Heart J, administrar a medicação anti-hipertensiva à noite poderia reduzir o risco de eventos cardiovasculares. Contudo, apesar de mostrar uma significativa redução do risco, os resultados aqui relatados têm que poder ser reproduzidos antes de adotarmos esta conduta de forma padronizada.  Tomar as medicações prescritas antes

Sangrados mayores en pacientes con AAS más rivaroxabán

Sangramentos maiores em pacientes com AAS mais rivaroxabana

A combinação de doença coronariana ou vascular periférica mais alguma razão para estar anticoagulado – como poderia ser a fibrilação atrial – faz com que tenhamos muitos pacientes recebendo antiagregação com aspirina mais anticoagulação com rivaroxabana, por exemplo.  É sabido que esta combinação (aspirina 100 mg por dia mais rivaroxabana 2,5 mg duas vezes por

Top