arquivo articles

Acceso retrógrado mediante la arteria tibial para el tratamiento de oclusiones en territorio femoropoplíteo: ¿es una estrategia segura?

Tratamento de lesões no território femoropoplíteo com balões recobertos de fármacos em doses baixas vs. altas

Tratamento de lesões no território femoropoplíteo com balões recobertos de fármacos em doses baixas vs. altas

O uso de balões recobertos de fármacos (DCB) experimentou um notável crescimento no âmbito do tratamento endovascular da doença arterial no território femoropoplíteo. Estudos prévios sobre os DCB de primeira geração com doses elevadas (HD-DCB) validaram seus benefícios, respaldando assim sua recomendação nos guias clínicos atuais. No entanto, foram relatados efeitos adversos vinculados ao paclitaxel

La ATC es una alternativa válida en el TCI

Uso da litotripsia intravascular no tronco da coronária esquerda

A circulação que compromete o tronco da coronária esquerda (TCE) abrange aproximadamente 70% do músculo cardíaco, motivo pelo qual sua intervenção representa um risco significativo com considerável impacto no prognóstico dos pacientes. Os principais guias de revascularização recomendam abordar as estenoses do TCE ≥ 50%, independentemente da presença de sintomas ou de isquemia.  A presença

Network meta-analysis de imagens complementares (IVUS – OCT e angiografia convencional) para o implante de stent coronariano

As imagens complementares permitem discernir inúmeros cenários não visíveis com a angiografia convencional (ICA), tanto para a avaliação de diagnósticos diferenciais quanto para melhorar os resultados da angioplastia coronariana (PCI). As vantagens incluem a avaliação das características da placa, a carga de placa do vaso, as dissecções de borda no implante, o diâmetro do vaso,

La insuficiencia renal post tratamiento borde a borde tricuspídeo impacta en el pronóstico

Tratamento borda a borda no choque cardiogênico

A abordagem borda a borda com MitraClip se consolidou como uma estratégia válida para os pacientes que apresentam insuficiência mitral (IM) severa sintomática com um alto risco para cirurgia, atualmente com uma indicação IIa.  Uma situação especialmente complexa se apresenta quando a IM se complica com choque cardiogênico, representando um risco elevado para a cirurgia

El éxito de la angioplastia sobre las CTO por reestenosis disminuye la mortalidad cardíaca

Revascularização recorrente no período de 10 anos após o tratamento de reestenose intrastent de DES

A reestenose intrastent (ISR) continua sendo a principal limitação no tratamento percutâneo da doença coronariana, com uma prevalência que oscila entre 5% e 10% após o implante de stents eluidores de fármacos (DES) de nova geração. As recomendações terapêuticas para dita entidade incluem o implante de novos DES e o uso de balões recobertos com

Evolução da ATC em doenças infiltrativas

As doenças infiltrativas (ID) constituem um conjunto heterogêneo de afecções genéticas que provocam infiltração e depósitos extracelulares, produzindo alterações em diversos sistemas ou órgãos afetados.  A amiloidose, a sarcoidose e a hemocromatose incidem no coração, ocasionado alterações miocárdicas e no sistema de condução.  A ATC é frequente na atualidade e alguns pacientes apresentam ID. Distintas

Función de la mano luego del acceso radial distal, ¿es seguro?

Registro KODRA: acesso radial distal como opção principal em procedimentos coronarianos

As primeiras experiências com o acesso radial distal (DRA) revelaram benefícios significativos quando comparados com o acesso transradial (TRA), evidenciando uma redução em eventos de sangramento e também um menor índice de oclusão do ponto de punção. Chama atenção, inclusive, o fato de o espectro de patologias tratadas por meio dessa via ter se ampliado,

TAVI en insuficiencia aórtica pura

Resultados a curto prazo do TAVI em pacientes assintomáticos ou minimamente sintomáticos

A troca valvar aórtica (AVR) está indicada para a estenose aórtica (AS) sintomática, ao passo que para os pacientes assintomáticos é recomendado um acompanhamento intensivo, a menos que estes apresentem gradientes aórticos elevados, baixa fração de ejeção ou testes de esforço anormais. No entanto, o momento ótimo para realizar a AVR não está bem definido,

tavr insuficiencia aórtica pura

Evolução do TAVI em 10 anos nos pacientes de baixo risco

O tratamento da estenose aórtica severa experimentou uma revolução significativa com o TAVI, especialmente em pacientes de alto risco e de risco intermediário, estendendo-se agora aos de baixo risco. Nos Estados Unidos, quase a metade dos pacientes com menos de 65 anos estão sendo submetidos a TAVI.  Uma das incógnitas fundamentais que ainda não foi

Top