Longe de ser um jogo de palavras, a desnutrição inclina a balança no TAVI

O estado nutricional se associa a maior mortalidade em pacientes idosos que apresentam estenose aórtica severa e requerem implante valvar, não importando se a escolha é por uma estratégia cirúrgica convencional ou pelo implante percutâneo da valva aórtica (TAVI).

Lejos de ser un juego de palabras, la malnutrición inclina la balanza en el TAVIObviamente, o estado nutricional se associa à fragilidade, embora tenha a vantagem de poder ser bastante mais evidente para nosso olho clínico e uma balança ser suficiente para defini-lo. A fragilidade como entidade inclui mais variáveis e, apesar de já terem sido desenvolvidos vários escores, nenhum é perfeito. Em tal sentido, fazer nossos pacientes subirem em uma balança pode nos ajudar a ganhar tempo.

 

Este trabalho buscou encontrar a vinculação entre desnutrição e resultados (vinculação que parece lógica e óbvia) mas, como tantas outras vezes ocorre, ninguém tinha tido o trabalho de fazer as análises e testes e sua posterior publicação.


Leia também: Custo-benefício de endopróteses fenestradas ou ramificadas vs. cirurgia aberta.


O estudo prospectivo multicêntrico internacional FRAILTY-AVR foi realizado entre 2012 e 2017 em 14 centros de 3 países. Todos os pacientes ≥ 70 anos que receberam TAVI ou cirurgia convencional durante esse lapso de tempo foram elegíveis.

 

Para objetivá-lo foi necessário utilizar o escore pré-procedimento, neste caso o Mini Nutricional Assessment-Short Form (MNA-SF). Um escore ≤ 7 sobre 14 foi considerado desnutrição, entre 8 e 11 sobre 14 foi considerado em risco de desnutrição. Simultaneamente foram utilizados escores de fragilidade.

 

O desfecho primário foi a mortalidade por qualquer causa em um ano e desfecho secundário uma combinação de mortalidade morbidade maior em 30 dias. Utilizou-se um modelo multivariável para ajustar todos os potenciais elementos de confusão.


Leia também: Angioplastia de tronco: mesmo com bons resultados a longo prazo, a estratégia ótima continua em discussão.


Em total foram incluídos 1.158 pacientes (727 foram submetidos a cirurgia e 431 receberam TAVI) com 45% de mulheres, uma idade média de 81,3 anos e um STS-PROM de 5,1%. O índice de massa corporal médio da população foi de 27,5 kg/m², com o qual 8,7% da mesma foi considerada desnutrida e 32,8% foi considerada em risco de desnutrição. Os escores de fragilidade e de desnutrição tiveram uma correlação relativamente modesta.

 

Os pacientes desnutridos tiveram uma mortalidade quase três vezes maior em um ano em comparação com aqueles que apresentavam um estado nutricional normal (28% vs. 10%; p < 0,001). Depois de feito o ajuste por fragilidade, STS e tipo de procedimento, o estado nutricional continuou sendo um preditor significativo de mortalidade em 30 dias e em um ano.

 

Conclusão

O estado nutricional pré-procedimento se associa à mortalidade em pacientes que são submetidos a cirurgia de substituição valvar convencional ou a implante percutâneo. É necessário determinar que intervenções poderiam ser úteis tanto antes como após o procedimento para melhorar os resultados nestes pacientes vulneráveis.

 

Título original: Malnutrition and Mortality in Frail and Non-Frail Older Adults Undergoing Aortic Valve Replacement.

Referência: Michael Goldfarb et al. Circulation. 2018 Jul 5. Epub ahead of print.

 

Descargar (PDF, Unknown)


Gostaria de receber um resumo semanal com os últimos artigos científicos?








Sua opinião nos interessa. Pode deixar abaixo seu comentário, reflexão, pergunta ou o que desejar. Será mais que bem-vindo.

*

Top