Veja os artigos mais importantes de 2018 em cardiopatia estrutural

1- ESC 2018 | MITRA FR: o teste do MitraClip nas insuficiências mitrais funcionais

Na insuficiência mitral secundária (IM SEC) as valvas e as cordas tendíneas são estruturalmente normais e a insuficiência se deve a uma alteração na geometria e na função ventricular esquerda.

Leia mais 

 

2- TCT 2018 | COAPT: MitraClip em pacientes com insuficiência mitral secundária

Os pacientes com insuficiência cardíaca (ICC) e insuficiência mitral (IM) secundária à dilatação e disfunção do ventrículo têm um prognóstico reservado. O tratamento percutâneo da valva mitral nestes pacientes poderia melhorar ao menos os sintomas.

Leia mais 

 

3- NOTION: os resultados de 5 anos do TAVI vs. cirurgia em pacientes de baixo risco são promissores

No seguimento de 5 anos não foram constatadas diferenças em termos de mortalidade por qualquer causa, AVC, infarto agudo do miocárdio ou todos esses eventos combinados em pacientes idosos mas de baixo risco que receberam implante percutâneo da valva aórtica (TAVI) ou cirurgia convencional. Tais resultados não surpreendem se considerarmos os relatórios de anos anteriores.

Leia mais 

 

4- Vantagens da sedação consciente no TAVI

A vantagem primordial do implante percutâneo da valva aórtica (TAVI) sempre foi sua natureza menos invasiva em comparação com a cirurgia. Muitos dos avanços desta técnica redundaram em torná-la menos invasiva, aumentando ainda mais a brecha com a cirurgia. O tipo de anestesia se constitui em um desses avanços.

Leia mais 

 

5- TCT 2018 | SOLVE-TAVI: autoexpansível vs. expansível por balão e anestesia geral vs. local em um mesmo estudo

Este trabalho prospectivo, randomizado e multicêntrico incluiu 447 pacientes com estenose aórtica severa e risco cirúrgico intermediário ou alto que foram randomizados a um esquema fatorial de 2 x 2 para anestesia geral vs. local com sedação consciente e também a receber a válvula Sapien 3 (expansível por balão) vs. CoreValve Evolut (autoexpansível).

Leia mais 

 

6- Resultados do seguimento de 5 anos da oclusão do apêndice atrial esquerdo

O PROTECT AF demonstrou que a oclusão do apêndice atrial esquerdo com o dispositivo Watchman era equivalente à varfarina em prevenir AVC no contexto de fibrilação atrial, mas tinha mais complicações periprocedimento. O estudo randomizado que lhe sucedeu foi o PREVAIL, no qual a taxa de ditas complicações foi mais baixa (embora a coorte que recebeu varfarina tenha tido uma inesperadamente baixa taxa de AVC, o que deixou inconclusa qualquer interpretação de eficácia). O anteriormente afirmado se baseou na quantidade relativamente baixa de pacientes seguidos durante pouco tempo.

Leia mais 

 

7- CoreValve US Pivotal High Risk Trial: os resultados de 5 anos de seguimento são similares

É conhecido o benefício do TAVI nos pacientes de alto risco ou inoperáveis em 5 anos, sobretudo após a publicação do PARTNER 1. No entanto, ainda estava pendente ver qual foi a evolução de outro estudo randomizado importante: o CoreValve US Pivotal High Risk Trial.

Leia mais 

 

8- Incidência de câncer em pacientes adultos com cardiopatias congênitas

Os adultos com cardiopatias congênitas estão expostos a doses acumulativas de radiação pelos múltiplos cateterismos a que são habitualmente submetidos. Devido ao fato de tais procedimentos se realizarem desde uma etapa muito precoce, a chance de efeitos estocásticos pela radiação é relativamente mais alta que em uma população idosa.

Leia mais 

 

9- Morbidade e mortalidade relacionadas à espera de autorização para o TAVI

Para este trabalho realizado no Canadá, o aumento da demanda de pacientes que requeriam implante percutâneo da valva aórtica (TAVI) pôde ser acompanhado por um incremento de igual magnitude de parte dos financiadores da saúde para custear o procedimento. Apesar disso, o tempo de espera entre o pedido de autorização formal e a realização do procedimento foi de 3 meses, espera que se associou a importante morbidade e mortalidade nesta população de alto risco.

Leia mais 

 

10- Devemos fazer a melhor revascularização coronariana antes do TAVI

A presença de doença coronariana em pacientes com estenose aórtica é alta, e ronda os 50%-70% dos casos. Isso gera um grande desafio na estratégia a escolher e nas ações que podemos realizar.

Leia mais 

 

11- EuroPCR 2018 | Metanálise sobre proteção cerebral durante o TAVI

O risco de AVC é inerente ao TAVI e, para além dos eventos clinicamente evidentes, existe muita evidência de embolia em estudos que utilizaram ressonância magnética com difusão ou Doppler transcraniano. Vários dispositivos foram desenvolvidos e testados para reduzir o risco de AVC, embora em trabalhos relativamente pequenos e com conclusões controversas. O objetivo deste trabalho é reunir toda a informação disponível e realizar uma metanálise sobre a segurança e eficácia dos dispositivos de proteção cerebral durante o TAVI.

Leia mais 


Gostaria de receber um resumo semanal com os últimos artigos científicos?








Sua opinião nos interessa. Pode deixar abaixo seu comentário, reflexão, pergunta ou o que desejar. Será mais que bem-vindo.

*

Top