Insuficiência renal e risco de desenvolver estenose aórtica no futuro

Segundo este trabalho recentemente publicado no J Am Coll Cardiol, a doença renal crônica, mesmo em etapas moderadas ou severas prévias à diálise, associa-se a um risco incrementado de estenose aórtica.

Sub análisis del EXCEL: angioplastia vs cirugía en insuficiencia renal crónicaA insuficiência renal e a estenose aórtica compartilham fatores de risco, o que nos indica que encontrar a associação entre ambas as doenças é um desafio com o qual nos enfrentamos, ainda mais se levarmos em conta os múltiplos fatores de confusão que se impõem.

 

O estudo incluiu 1.121.875 cidadãos de Estocolmo sem antecedentes de estenose aórtica do projeto SCREAM (Stockholm CREAtinine Measurements). A taxa de filtração glomerular (ml/min/1.73 m²) foi calculada a partir da creatinina sérica. A associação entre a filtração glomerular e a incidência de estenose aórtica foi estimada com os modelos de risco multivariável de Cox.


Leia também: Subanálise do EXCEL: angioplastia vs. cirurgia em insuficiência renal crônica.


A análise de sensibilidade incluindo a possibilidade de um desvio de causa reversa (a hipótese de a estenose aórtica produzir insuficiência renal) foi feita excluindo o diagnóstico nos primeiros 6 meses ou nos 2 anos posteriores ao recrutamento e excluindo pacientes com insuficiência cardíaca como comorbidade.

 

A idade média dos pacientes foi de 50 anos com uma filtração glomerular de 96 ml/min/1,73 m².

 

Durante o seguimento de 5,1 anos, 5.858 pacientes (0,5%) desenvolveram estenose aórtica (incidência de 1,13/1.000 ano/pacientes).


Leia também: TAVI: o acesso axilar e subclávio são uma alternativa válida.


Em comparação com aqueles que mantiveram uma filtração acima de 90 ml/min/1,73 m² (incidência de 0,34/1000 ano/pacientes) à medida que a filtração glomerular foi se reduzindo, a incidência de estenose aórtica foi aumentando. Para aqueles pacientes com uma filtração de entre 60 e 90 ml/min/1,73 m² (HR: 1,14; IC 95% 1,05 a 1,25), para aqueles com uma filtração de entre 45 e 59 ml/min/1,73 m² (HR: 1,17; IC 95% 1,05 a 1,30), entre 30 e 44 (HR: 1,22; IC 95% 1,07 a 1,39) e finalmente com menos de 30 de filtração glomerular (HR: 1,56; IC 95% 1,29 a 1,87).

 

Conclusão

A disfunção renal a partir de graus moderados se associa a um incremento do risco de estenose aórtica.

 

Título original: Kidney Dysfunction and the Risk of Developing Aortic Stenosis.

Referência: Georgios Vavilis et al. J Am Coll Cardiol 2019;73:305–14.


Gostaria de receber um resumo semanal com os últimos artigos científicos?








Sua opinião nos interessa. Pode deixar abaixo seu comentário, reflexão, pergunta ou o que desejar. Será mais que bem-vindo.

*

Top