É necessário revascularizar antes do TAVI

A prevalência de doença nos pacientes com estenose aórtica severa varia muito: a partir de 80% nos pacientes inoperáveis até somente 15% segundo os mais recentes trabalhos que incluíram pacientes de baixo risco. 

Es necesario revascularizar antes del TAVI

Devido à alta complexidade observada nos pacientes com doença coronariana, os guias sugerem considerar a revascularização com by-pass coronariano naqueles que requerem uma troca valvar. 

Essa experiência com os pacientes cirúrgicos se trasladou aos primeiros trabalhos de TAVI nos quais a angiografia coronariana estava dentro do protocolo obrigatórios de avaliação e se recomendava categoricamente a revascularização. 

Recentemente foi publicado no JACC: Cardiovascular Interventions um trabalho realizado pelo Dr. Faroux et al. que analisou uma série de 1197 pacientes com uma idade média de 81 anos tratados com angioplastia antes (94%) ou durante (6%) o TAVI. 

A metade dos pacientes tinha lesões de múltiplos vasos e muitas delas eram complexas (50% das lesões eram calcificadas e houve 46% de bifurcações). 


Leia também: Função diastólica e TAVI, associados ao prognóstico antes e depois do procedimento.


Apesar da idade dos pacientes e da complexidade das lesões somente 3,3% apresentou falha da lesão alvo em 2 anos de seguimento. 

Com esses dados os autores confirmam a segurança da revascularização pré-TAVI e isso fica claro. Porém, a pergunta que não quer calar é: essas revascularizações eram necessárias?

Com a experiência acumulada nestes anos e a melhora dos dispositivos, as chances de ocorrência de uma isquemia aguda durante o procedimento são mínimas e nos pacientes mais doentes não chegamos a ver o benefício da revascularização. 


Leia também: Cai o último bastião dos stents convencionais.


Hoje o TAVI está alcançando populações de menor risco que têm uma expectativa de vida longa após o procedimento. Sugere-se então que a revascularização prévia é ainda mais importante devido ao temor em relação a dificuldades com o acesso ou com as coronárias. No entanto, isso continua sendo uma especulação. 

Vários trabalhos importantes estão em andamento para determinar a utilidade da avaliação funcional na hora de decidir sobre a realização ou não da revascularização, embora isso não solucione o problema do futuro acesso às coronárias, caso seja necessário. 

Os intervencionistas devem estar familiarizados com as possíveis dificuldades e opções para solucionar o problema. Cateteres-guia com curvas menores, acessar o óstio por fora para depois aproximar o cateter e escolher adequadamente o strut do stent da válvula para acessar, são habilidades que devem estar incorporadas, especialmente se um paciente com TAVI prévio se apresenta com um infarto em andamento. 

Original Title: Coronary Revascularization Before Transcatheter Aortic Valve Replacement.

Reference: Cindy L. Grines et al. JACC Cardiovasc Interv. 2020 Nov 23;13(22):2614-2616. https://doi.org/10.1016/j.jcin.2020.08.018.


Subscreva-se a nossa newsletter semanal

Receba resumos com os últimos artigos científicos

*

Top