TAVI em pacientes com estenose aórtica pura vs. mista: benefícios e evolução

Gentileza do Dr. Carlos Fava.

TAVI demonstrou reduzir a mortalidade e melhorar a qualidade de vida nos pacientes com estenose aórtica severa pura (EAOP). No entanto, existe um número significativo de pacientes que apresentam EAO mista associada a insuficiência aórtica moderada/severa (EAOM). Estes últimos foram excluídos nos estudos PARTNER e SURTAVI, o que torna escasso o conhecimento que se tem a respeito de seu benefício e evolução.

Estenosis aórtica pura vs mixta en TAVI: beneficios y evolución

No presente estudo foram analisados 793 pacientes consecutivos, dos quais 106 apresentavam EAOM (13,4%).


Leia também: SOLACI CACI 2017 | Is the PCI risk higher in patients with severe Aortic Stenosis? How can we reduce the risk?”


Os que tinham EAOM eram mais jovens, apresentavam maior risco cirúrgico e mais insuficiência cardíaca, menor gradiente e diâmetros ventriculares maiores. Além disso, a presença de doença coronariana, IAM e CRM foi maior neste grupo.

 

Após o implante, o índice de regurgitação aórtica moderada/severa foi maior no grupo de EAOM (15,7% vs. 3,6%; p = 0,003). Tal tendência se manteve após o ajuste das variáveis e a realização de um propensity match score.

 

Não houve diferenças nos eventos no seguimento de 30 dias, a não ser por uma menor fração de ejeção nos que apresentavam EAOM.


Leia também: A doença vascular periférica se associa a mais eventos no TAVI”.


A mortalidade por qualquer causa, a mortalidade cardíaca e a melhora da classe funcional foram similares nos dois grupos.

 

Conclusão

Uma proporção significativa dos pacientes encaminhados a TAVI apresentou EAOM no mundo real. Eventualmente, a evolução clínica de ditos pacientes é comparável à dos que exibem EAOP nos resultados a curto e médio prazo, apesar de seu maior risco. Nesse sentido, a EAOM não deveria ser considerada uma contraindicação para o encaminhamento a TAVI.

 

Comentário

A presença de EAOM é bastante frequente no mundo real e neste estudo a mesma não se relacionou com uma pior evolução. Embora tenham tido um maior índice de regurgitação moderada a severa, não houve um impacto negativo. É possível que isso se deva a uma adaptação prévia do ventrículo esquerdo frente a dita situação.

 

É necessário contar com mais dados e com um seguimento maior para saber se há uma relação com mais eventos ou com afecção valvar.

 

Gentileza do Dr. Carlos Fava.

 

Título original: Transcatheter aortic valve implantation for mixed versus pure stenotic aortic valve disease.

Referência: Mohammad Abdelghani.  EuroIntervention 2017;13:1157-1165.


Gostaria de receber um resumo semanal com os últimos artigos científicos?








Sua opinião nos interessa. Pode deixar abaixo seu comentário, reflexão, pergunta ou o que desejar. Será mais que bem-vindo.

*

Top