EuroPcr 2020 | As mortes súbitas aumentam o dobro ou o triplo ao passo que os infartos diminuem

Há cada vez mais relatos no mundo que documentam um aumento significativo das mortes súbitas no domicílio durante a pandemia de Covid-19. Estas mortes são causadas pelo vírus e sua capacidade de produzir arritmias letais ou são os pacientes com infarto que não estão recorrendo à consulta no hospital. 

Os cardiologistas foram os primeiros a advertir, no princípio da pandemia, que a brusca queda nas consultas por infartos agudos do miocárdio teria consequências a curto prazo, tais como as apresentações tardias com a função ventricular já deteriorada, o aumento das complicações mecânicas e o aumento da morte súbita. 

Os italianos relataram um aumento de 58% das mortes súbitas no domicílio durante o pico de contágios na região da Lombardia vs. o mesmo período de tempo do ano anterior. 

Recentemente, autores da Itália também apresentaram no European Heart Journal e no EuroPCR virtual um aumento de 52% da morte súbita nos domicílios. 

Mas desta vez a curva de mortes súbitas no domicílio por cada 100 000 habitantes mostra uma forte correlação estatística com a curva de doentes de Covid-19 por cada 100 000 habitantes. 


Leia também: EuroPCR 2020 | Diferir com iFR vs. FFR: são equivalentes ou há um novo “gold standard”?


Simultaneamente, autores franceses proporcionaram uma informação similar (publicada no The Lancet): a incidência de mortes súbitas é o dobro da média e coincide com a semana de máxima incidência de contágios por Covid-19. 

Na cidade de Nova York (outro dos grandes epicentros) a mesma história se repete. Segundo um estudo publicado no JAMA, o número de chamadas de emergência por mortes súbitas foi três vezes maior (47,5 vs. 15,9 por cada 100 000 habitantes durante o pico de contágios). A chegada do serviço de emergências não conseguiu salvar muitos e a mortalidade superou os 90%.

A discussão agora gira ao redor da pergunta de se ditas mortes foram por infartos em pessoas que não fizeram uma consulta ou se foram ocasionadas pela infecção por Covid-19. Em Nova York não há dados sobre o teste em pacientes falecidos, mas em Paris aproximadamente um terço da coorte era confirmada ou suspeita. 


Leia também: EuroPCR 2020 | Estamos ante o renascimento da denervação renal?


Especulando com isso poderíamos dizer que até 70% do excesso de mortes súbitas observadas em 2020 vs. o mesmo período de 2019 podem ser atribuídas à Covid-19 ocasionadas por falha respiratória, injúria miocárdica, embolia pulmonar ou prolongação do QT (seja por causa inflamatória ou induzida por drogas como a hidroxicloroquina). 

O resto das mortes também pode ser atribuído à Covid-19 mas não de maneira direta. Estamos falando dos pacientes que, com sintomas claros de infarto, não consultaram por medo de se contagiarem. 

Descargar (PDF, Unknown)

Descargar (PDF, Unknown)

Descargar (PDF, Unknown)

Título original: COVID-19 kills at home: the close relationship between the epidemic and the increase of out-of-hospital cardiac arrests. Out-of-hospital cardiac arrest during the COVID-19 pandemic in Paris, France: a population-based, observational study. Out-of-Hospital Cardiac Arrests and Resuscitations During the Novel Coronavirus Disease 2019 Pandemic in New York City.

Referência: Baldi E et al. Eur Heart J. 2020; Epub ahead of print. Marijon E et al. Lancet Public Health. 2020; Epub ahead of print. Lai PH et al. JAMA Cardiol. 2020; Epub ahead of print.


Gostaria de receber um resumo semanal com os últimos artigos científicos?

Sua opinião nos interessa. Pode deixar abaixo seu comentário, reflexão, pergunta ou o que desejar. Será mais que bem-vindo.

*

Top