Síndromes Coronarios Agudos articles

Síndrome de Tokotsubo ¿El género tiene influencia en su pronóstico?

Síndrome de Takotsubo: o gênero tem influência em seu prognóstico?

Síndrome de Takotsubo: o gênero tem influência em seu prognóstico?

A Síndrome de Takotsubo (STT) se caracteriza por uma insuficiência cardíaca aguda que é reversível em muitas ocasiões, mas se associa a morbidade e mortalidade a curto e longo prazo.  É mais frequente nas mulheres, especialmente após a menopausa. No entanto, não foi analisada a evolução desta miocardiopatia com relação ao gênero.  Fez-se uma análise

tromboaspiracion angioplastia primaria

A tromboaspiração tem lugar na ATC primária atual?

Em linhas gerais, a tromboaspiração no infarto agudo do miocárdio (IAM) não demonstrou benefício nos grandes estudos. Poderia, inclusive, chegar a ser prejudicial, já que foi associada com AVC. Existem, no entanto, certos cenários nos quais a presença de uma quantidade importante de trombos não nos permite alcançar um fluxo TIMI 3 adequado ou no

Nueva y discrepante información sobre los vasos no culpables en el infarto

Quando é o momento ideal para realizar uma estratégia invasiva na SCA sem elevação do ST?

Segundo as diretrizes da sociedade europeia de cardiologia (ESC Guidelines 2021) recomenda-se a abordagem invasiva precoce (< 24h) nos pacientes com síndrome coronariana aguda (SCA) sem elevação do ST (SCASEST) de alto risco, que compreendem os pacientes que apresentam curva na dosagem de troponinas, escore de Grace > 140, mudanças dinâmicas da onda T ou

Devemos começar a usar OCT nos IAM sem lesões obstrutivas?

Nos infartos com supradesnivelamento do segmento ST, a angiografia continua sendo o método mais utilizado, mas como já sabemos, apresenta certas limitações, sobretudo quando se trata de lesões intermediárias ou dissecções coronarianas.  A utilização de métodos de imagens – especialmente os de alta resolução como a OCT – têm sido avaliados em alguns estudos, embora

Evolução da angioplastia coronariana segundo o SYNTAX II: acompanhamento de cinco anos

Já transcorreu bastante tempo desde a publicação do estudo SYNTAX (NEJM 2009), que comparou angioplastia coronariana transluminal percutânea (ATC) versus cirurgia de revascularização miocárdica (CRM). Nesse emblemático estudo, a ATC com stents eluidores de fármacos de primeira geração (Taxus) – comparados com CRM – se associou a uma maior quantidade de eventos cardiovasculares maiores (mortalidade

El ticagrelor muestra beneficios en la función microvascular coronaria luego de un IAMSEST

Rivaroxabana para prevenção de trombo em ventrículo esquerdo após SCACEST

A incidência da trombose (LVT) após o IAM com elevação do segmento ST anterior (IAMCEST) varia entre 4% e 26% e se associa a uma má evolução a longo prazo. No passado, a terapia com esquema triplo (antagonista da vitamina K mais DAPT) era recomendada como prevenção da LVT, apesar de não existir evidência científica

Resonancia vs FFR en lesiones no culpables del infarto

OCT em pacientes com SCACEST: é seguro utilizá-la para evitar implante de stent?

A angioplastia coronariana em pacientes com infarto agudo do miocárdio (IAM) nos quais o mecanismo fisiopatológico é a erosão de placa ou os mecanismos não ateroscleróticos (como a dissecção coronariana espontânea) não seria benéfica segundo estudos recentes.  O estudo EROSION (Effective Anti-Thrombotic Therapy Without Stenting: Intravascular Optical Coherence Tomography–Based Management in Plaque Erosion) mostrou que

Carotídeas asintomáticas ¿Tenemos todas las respuestas?

O iFR é confiável em 5 anos? Análise do iFR-SWEEDHEART em seguimento de 5 anos

O FFR demostrou sus grande utilidade e segurança no estudo FAME, mas tinha como contrapartida a utilização de adenosina (que tem uma vida média curta) e as reações adversas, que felizmente eram pouco frequentes.  Posteriormente, dois grandes estudos – o iFR-SWEDEHEART e o DEFINE-FLAIR – demonstraram que o iFR oferecia resultados comparáveis ao FFR em

El uso de imágenes intravasculares para guiar la angioplastia reduce el riesgo de muerte cardiovascular en comparación con la angiografía

Eventos cardiovasculares em 5 anos após postergação da revascularização guiada por FFR. Devemos nos guiar somente pelo valor obtido com o FFR?

O fluxo fracionado de reserva (FFR) demonstrou sua segurança e eficácia em diferentes estudos mas ainda não sabemos se o mesmo se mantém em 5 anos.  O objetivo deste registro multicêntrico foi avaliar o impacto do risco trombótico (medido pelo escore de CREDO-Kyoto) como preditor de eventos cardiovasculares em 5 anos em pacientes nos quais

ACC 2022

ACC 2022 | há diferença entre o IVUS e a fisiologia nas lesões intermediárias

O FLAVOUR é um estudo randomizado prospectivo de não inferioridade em pacientes com lesões coronarianas intermediárias (40%-70%) que comparou o uso de 2 modalidades de imagem: o IVUS (imagem intravascular) e o FFR (fluxo fracionado de reserva). Leia também: ACC 2022 | Estudo CLASP TR: Reparação tricúspide com o dispositivo PASCAL. Por outro lado, tampouco

ACC 2022

ACC 2022 | estudo COMPLETE

A angioplastia coronariana melhora a qualidade de vida relacionada com a ausência de angina em pacientes com IAM e doença coronariana de múltiplo vaso. O estudo COMPLETE evidenciou que os pacientes com revascularização completa vs. aqueles nos quais se tratou somente o vaso culpado apresentaram menor taxa de morte cardiovascular ou IAM no seguimento de

Top