Um sintoma subestimado de estenose aórtica

Neste estudo observacional de longo prazo de uma grande coorte de pacientes contemporâneos com estenose aórtica, a síncope demonstra, pela primeira vez, ser uma ameaça oculta e subestimada desta patologia e se associa com um pior prognóstico após a substituição valvar.  

¿Qué usar para medir funcionalmente una lesión coronaria en el contexto de estenosis aórtica severa?É muito interessante o dado de que outros sintomas ou sinais primários da estenose aórtica que habitualmente levam à decisão da substituição (dispneia, angina ou deterioro da função ventricular) tenham se associado com um significativo melhor prognóstico após a substituição valvar. Os pacientes que apresentam síncope habitualmente têm um fenótipo caracterizado por menores áreas valvares, menores cavidades cardíacas e menor volume/batimento.

 

A decisão de levar um paciente a cirurgia para substituir a valva aórtica nem sempre é fácil de tomar e requer uma avaliação minuciosa da relação risco/benefício.


Leia também: Eventos clínicos após adiamento do tratamento da DA com FFR ou iFR.


Os sintomas cardinais que indicam a intervenção são a angina, sintomas de insuficiência cardíaca e a síncope. No entanto, ainda não estava claro se algum destes sintomas piorava o risco após a substituição valvar e se a detecção precoce destes sintomas deveria ser enfatizada na prática clínica, ainda que de maneira sutil.

 

Um total de 625 pacientes com estenose aórtica isolada submetidos a substituição eletiva da valva foram incluídos prospectivamente neste trabalho observacional de longo prazo.

 

Os pacientes que apresentaram síncope tinham diâmetros ventriculares significativamente menores (p = 0,22), bem como os diâmetros de ambos os átrios e do ventrículo direito.


Leia também: ¿Hasta cuándo debemos esperar en la estenosis aórtica asintomática con FEY conservada?


Também tinham áreas valvares menores (p = 0,048) e um menor volume por minuto.

 

Após ajustar por todas as variáveis, a síncope se associou com mais do dobro de mortalidade (HR 2,27, p = 0,04) em um ano e com mais do dobro de mortalidade (HR 2,11; P < 0,001) em 10 anos. Ao contrário, a dispneia, a angina ou a disfunção ventricular pré-operatória não se associaram a um pior prognóstico após a substituição valvar.

 

Título original: Syncope. The Underestimated Threat in Severe Aortic Stenosis.

Referência: Georg Goliasch et al. J Am Coll Cardiol Img 2019. Article in press.


Gostaria de receber um resumo semanal com os últimos artigos científicos?








Sua opinião nos interessa. Pode deixar abaixo seu comentário, reflexão, pergunta ou o que desejar. Será mais que bem-vindo.

*

Top