EuroPCR 2019 | COAPT: a redução da insuficiência mitral está associada a menos hospitalizações e menos morte

Esta nova análise nos mostra o mecanismo do benefício com o MitraClip e o grau de redução de insuficiência necessária para causar um impacto.

Para além do tipo de intervenção, os pacientes com insuficiência cardíaca e insuficiência mitral secundária apresentam menos intervenções por insuficiência cardíaca, mortalidade por qualquer causa bem como melhora de sua qualidade de vida quanto menor a insuficiência residual.

A superioridade do MitraClip para alcançar e sustentar esta redução da insuficiência mitral parece ser o mecanismo do benefício observado no COAPT.

Quando é possível obter 2+ de insuficiência começamos a ver os resultados e quando comparamos aqueles que ficaram com 2+ de insuficiência residual vs. 1+ de insuficiência residual não se observa uma diferença significativa no benefício.


Leia também: EuroPCR 2019 | BIO-RESORT e registro SCAAR: hastes ultrafinas também em vasos pequenos.


Os 614 pacientes do COAPT apresentavam insuficiência mitral de grau 3+ ou 4+ no início do estudo. Após 30 dias, 73% dos pacientes que receberam MitraClip tinham 0/1+, cerca de 20% tinham 2+ e 7,4% tinham 3+ ou maior.

Ao contrário, apenas 34,3% dos pacientes tratados estritamente segundo os guias alcançaram uma redução de 2+ ou mais no mesmo período de tempo.

Contudo, enquanto o MitraClip foi superior ao tratamento médico no que se refere à redução da insuficiência mitral, segundo este trabalho ainda não fica claro porque a redução alcançada com o tratamento médico tem a mesma durabilidade e impacto prognóstico.

A taxa do desfecho primário (tempo para a primeira hospitalização por insuficiência cardíaca ou morte por qualquer causa) foi significativamente maior para aqueles pacientes com insuficiência residual 3+ ou mais (73,5% vs. aqueles que alcançaram 0/1+ (38,6%) ou 2+ (49,8%; p < 0,001 para todas as comparações). Sem diferenças significativas entre o grupo 0/1+ vs. 2+.

Leia também: EuroPCR 2019 | CHOICE: válvula balão expansível vs. autoexpansível em pacientes de alto risco.

Em relação aos escores de qualidade de vida após 12 meses, aqueles pacientes que alcançaram uma insuficiência residual 0/1+ ou 2+ tiveram escores que praticamente duplicaram o basal vs. aqueles com insuficiência 3+.

Descargar (PDF, Unknown)

Título original: Relationship between residual mitral regurgitation and clinical and functional outcomes in the COAPT trial.

Apresentador: Kar S.

Gostaria de receber um resumo semanal com os últimos artigos científicos?

Sua opinião nos interessa. Pode deixar abaixo seu comentário, reflexão, pergunta ou o que desejar. Será mais que bem-vindo.

*

Top