Impacto negativo da hipertensão pulmonar no TAVI

Gentileza do Dr. Carlos Fava.

A presença de hipertensão pulmonar (HP) é frequente na estenose aórtica severa. Esta pode ser classificada como: HP pré-capilar (HPPC), HP pós-capilar isolada (HPPCI) e HP pré e pós-capilar (HPPPC). 

Na atualidade há muito pouca informação que analise a estenose aórtica severa a partir desta perspectiva. 

Foram analisados 1.400 pacientes divididos em grupos 4 grupos: 658 sem HP (mPAP < 25 mmHg), 139 com HPPC (mPAP ≥ 25 mmHg e pressão capilar de Wedge ≤ 15 mmHg), 534 HPPCI (mPAP ≥ 25 mmHg e pressão capilar de Wedge > 15 mmHg) e 69 com HPPPC (mPAP ≥ 25 mmHg,  pressão capilar de Wedge > 15 mmHg e gradiente diastólico pulmonar ≥ 7 mmHg).

A idade média foi de 81 anos e 46% dos pacientes eram homens. Os 3 grupos com HP apresentaram maior prevalência de FA e mais presença de comorbidades. 


Leia também: A presença de hipertensão pulmonar não deve contraindicar o TAVI.


O sucesso do procedimento foi de 94,9%, sem haver diferenças no que se refere a regurgitação, AVC, sangramento, complicações vasculares e insuficiência renal. A mortalidade hospitalar foi maior nos pacientes que apresentaram HPPC e HPPCI. 

No seguimento de 12 meses e de 4 anos a mortalidade foi menor nos pacientes que não apresentavam HP em comparação com os que apresentavam [após um ano 13,8% vs. 23,4% (p < 0,001) e após 4 anos 37,2 vs. 51,5% (p < 0,001)].

Após um ano, os pacientes com HPPC tiveram um incremento da mortalidade de quase o dobro e os que tinham HPPCI experimentaram um aumento da mortalidade de uma vez e meia em comparação com os que não tinham HP. Não houve diferenças em termos de sobrevida nos pacientes com HP. 

Em 25% dos pacientes com HPPC e HPPCI o processo foi reversível, o que se associou com uma melhor sobrevida. Isto não ocorreu com os pacientes com HPPPC. 


Leia também: TCT 2018 | PADN-5: Denervação pulmonar em hipertensão combinada pré e pós-capilar.


A classe funcional melhorou no seguimento em todos os grupos. Os preditores de mortalidade após um ano foram a idade, a filtração glomerular, DPOC, AVC, índice cardíaco, HP, HPPC e HPPCI. 

Conclusão

Os pacientes com hipertensão pulmonar pré-capilar e com hipertensão pulmonar pós-capilar isolada mostraram maior mortalidade após o TAVI em comparação com aqueles que não apresentavam hipertensão pulmonar. A reversão da hipertensão pulmonar não mostrou benefícios, exceto nos pacientes com hipertensão pulmonar pós-capilar isolada. 

A estratificação hemodinâmica da hipertensão pulmonar serve para predizer o risco e a resposta dos pacientes com estenose aórtica que recebem TAVI. 

Gentileza do Dr. Carlos Fava.

Título Original: Impact of Pulmonary Hypertension Hemodynamic Status on Long-Term Outcome After Transcatheter Aortic Valve Replacement.

Referência: Jury Schewel, et al. J Am Coll Cardiol Intv 2019;12:2155–68.


Gostaria de receber um resumo semanal com os últimos artigos científicos?

Sua opinião nos interessa. Pode deixar abaixo seu comentário, reflexão, pergunta ou o que desejar. Será mais que bem-vindo.

*

Top