Acesso arterial unilateral no TAVI: nosso maior procedimento cada vez mais minimalista

Nos últimos anos tem havido uma redução significativa das complicações vasculares graças às melhoras no perfil dos dispositivos e à experiência dos operadores no implante percutâneo da valva aórtica (TAVI). 

Luz roja para el TAVI en pacientes de bajo riesgo

De acordo com este trabalho recentemente publicado no J Am Coll Cardiol Intv, o acesso arterial unilateral para o TAVI transfemoral nos oferece a mesma segurança que o acesso bilateral e poderia ser mais cômodo para os pacientes. 

O objetivo deste trabalho foi comparar a taxa e a tendência de complicações vasculares quando é feito um segundo acesso arterial na femoral contralateral durante o TAVI vs. um acesso arterial unilateral. 

As complicações vasculares ocorrem em ao redor de 5% a 8% dos procedimentos. Muitos operadores utilizam um segundo acesso arterial na femoral contralateral para poder realizar as angiografias da raiz durante a liberação da prótese e como medida de segurança perante uma eventual complicação vascular. Porém, há aqueles operadores que acreditam que um segundo acesso arterial ipsilateral e distal ao da prótese seria mais simples e teria uma segurança similar. 


Leia também: As angioplastias primárias na madrugada continuam tendo maior mortalidade?


Analisou-se a base de dados da Cleveland Clinic de todos os pacientes que receberam TAVI por acesso femoral entre 2014 e 2017. O desfecho primário foi a taxa de complicações vasculares. 

Foram incluídos 1.208 pacientes, dentre os quais 83,4% receberam acesso bilateral e 16,6% receberam duplo acesso unilateral. Durante os anos analisados, o uso da técnica de acesso unilateral foi se incrementando até chegar a 43,7% em 2017. 

Observou-se uma queda gradual das complicações vasculares, que foram de 13,7% em 2014 a 7,4% em 2017.


Leia também: Benefício clínico específico da oclusão do apêndice atrial esquerdo vs. anticoagulação na FA.


Depois de comparar os pacientes utilizando o propensity score, a taxa de complicações vasculares periféricas foi similar entre o acesso femoral bilateral e o duplo acesso unilateral (10,8% vs. 8,6%; p = 0,54).

Conclusão

Houve uma redução significativa da taxa de complicações vasculares entre 2014 e 2017. O duplo acesso unilateral proporciona uma segurança similar ao duplo acesso femoral contralateral tanto para manejar complicações quanto para incrementar o conforto pós-procedimento. 

Título original: Unilateral Access Is Safe and Facilitates Peripheral Bailout During Transfemoral-Approach Transcatheter Aortic Valve Replacement.

Referência: Shameer Khubber et al. J Am Coll Cardiol Intv 2019;12:2210–20.


Gostaria de receber um resumo semanal com os últimos artigos científicos?

Sua opinião nos interessa. Pode deixar abaixo seu comentário, reflexão, pergunta ou o que desejar. Será mais que bem-vindo.

*

Top