ACC 2020 Virtual | As estatinas também poderiam proteger a cardiotoxicidade da quimioterapia

Este trabalho retrospectivo mostrou uma redução das internações por insuficiência cardíaca nas pacientes que receberam antraciclinas e trastuzumabe no contexto do tratamento de um câncer de mama e que, além disso, encontravam-se em tratamento com estatinas. 

ACC 2020 Virtual | Las estatinas también podrían proteger la cardiotoxicidad de la quimioterapia

O presente estudo estava agendado para ser apresentado durante as sessões científicas do ACC 2020 que se realizaria conjuntamente com o Congresso Mundial de Cardiologia. No entanto, o evento foi suspenso devido à pandemia do coronavírus. 

Apesar do risco cardíaco adicional da quimioterapia, a efetividade das antraciclinas e do trastuzumabe para o câncer de mama fazem com que não possamos prescindir de seu uso. O segredo está em proteger o coração dos efeitos adversos de ditos medicamentos. 

A evidência sobre as estatinas como cardioprotetoras é limitada a estudos pequenos, de um só centro, mas estes dados respaldam a realização de futuros estudos prospectivos para determinar se o pré-tratamento com estatinas é uma intervenção efetiva e, além disso, para tentar entender o mecanismo fisiopatológico do efeito. 


Leia também: ACC Virtual 2020 | Sedação consciente no TAVI.


Foram reunidos os dados de mulheres com 66 anos ou mais, em antecedentes de insuficiência cardíaca que eram diagnosticadas de câncer de mama em um estágio precoce. O uso de estatinas foi definido como todas aquelas mulheres que receberam a prescrição durante o ano anterior à aplicação da quimioterapia. 

Foram equiparados 723 pares de mulheres tratadas com antraciclinas (idade média de 69 anos) e 399 pares tratadas com trastuzumab (idade média 71 anos). 

O risco de hospitalizações por insuficiência cardíaca foi significativamente menor naquelas que tinham recebido estatinas antes da quimioterapia, tanto no grupo antraciclinas (HR 0,42, 0,22 a 0,82; p = 0,01) quanto no grupo trastuzumabe (HR 0,34, 0,14 a 0,82; p = 0,02).


Leia também: TAVI em anéis gigantes: Pacientes diferentes podem requerer distintos tipos de próteses.


Ainda é prematuro recomendar o pré-tratamento com estatinas neste grupo de mulheres com a informação que possuímos. A associação existe, mas a relação causa-efeito deve ser testada prospectivamente. 

Título original: Statins are associated with lower risk of heart failure after anthracycline and trastuzumab chemotherapy for early stage breast cáncer.

Referência: Bobrowski D. ACC 2020 virtual.


Gostaria de receber um resumo semanal com os últimos artigos científicos?

Sua opinião nos interessa. Pode deixar abaixo seu comentário, reflexão, pergunta ou o que desejar. Será mais que bem-vindo.

*

Top