Assintomáticos, a variável que perpetua a pandemia de COVID-19

Esta análise recentemente publicada no JAMA mostrou que as pessoas assintomáticas infectadas por SARS-CoV-2 são responsáveis por mais da metade de todos os contágios

Asintomáticos, la clave que perpetúa la pandemia de COVID-19

Conhecer esse dado orienta a canalização dos esforços na direção correta para controlar a pandemia até a chegada de vacinas seguras, efetivas e disponíveis em massa. 

A síndrome respiratória aguda severa por coronavírus 2 (SARS-CoV-2), cujo agente etiológico é o coronavírus 2019 (COVID-19), é transmitida de pessoa a pessoa. Isso ficou bastante claro desde o início da pandemia, embora não tenha sido reportado imediatamente. 

Os esforços para mitigar os impactos da pandemia devem ser dirigidos aos doentes assintomáticos que são os que têm maior probabilidade de disseminar o vírus. 

Foi desenvolvido um modelo estatístico para revelar a probabilidade de transmissão do vírus por pessoas assintomáticas em diferentes cenários e por um período variável de tempo de acordo com diferentes publicações (o período médio de incubação são 5 dias). 


Leia também: Resultados da vacina Sputinik V contra a COVID-19.


O cálculo levou em consideração um período infeccioso de 10 dias e um pico infeccioso entre o 3º e o 7º dia. 

No cálculo basal assumiu-se que o pico infeccioso ocorria no momento médio do desenvolvimento dos sintomas e que 30% das pessoas infectadas nunca desenvolveria sintoma algum. Esses assintomáticos têm uma capacidade infecciosa 25% inferior à dos pacientes sintomáticos. 

Combinando esses dados basais é possível calcular que 59% das transmissões provêm de pessoas assintomáticas entre os quais estão 35% de pré-sintomáticos (contagia, mas ainda não desenvolveu sintomas) e 24% que nunca desenvolverá sintomas. 


Leia também: Segurança e eficácia da vacina da Pfizer / BioNTech contra a COVID-19.


Com uma margem relativamente amplia é possível afirmar que mais da metade dos contágios se produzem através de pessoas que no momento do contato não apresentava nenhum sintoma. 

Conclusão

Aproximadamente 59% das transmissões de COVID-19 são produzidas por pessoas que no momento do contato não apresentavam sintomas. Além de identificar e isolar os pacientes sintomáticos é importante reduzir a transmissão dos assintomáticos. 

Para isso as medidas com maior custo/benefício são utilizar máscara, lavar as mãos, distanciamento social e o teste estratégico. 

Descargar (PDF, Unknown)

Título original:SARS-CoV-2 Transmission From People Without COVID-19 Symptoms.

Referência: Michael A. Johansson et al. JAMA Network Open. 2021;4(1):e2035057. doi:10.1001/jamanetworkopen.2020.35057.


Gostaria de receber um resumo semanal com os últimos artigos científicos?

(Visited 32 times, 10 visits today)

*

Top