Regressão de placas de alto risco com mudanças do estilo de vida

Uma intervenção na dieta e no estilo de vida de nossos pacientes somada à terapia médica ótima é capaz de diminuir o ritmo da progressão e reduzir o volume de placas moles em comparação com o tratamento médico unicamente.

Regresión de placas de alto riesgo con cambios del estilo vida

As mudanças no estilo de vida e na dieta estão entre as estratégias mais importantes para manejar a doença coronariana. No entanto, seu impacto direto na aterosclerose ainda não era claro. 

A composição da placa aterosclerótica se associa ao risco de uma futura ruptura com o conseguinte evento cardiovascular independentemente do grau de estenose. 

O presente trabalho recentemente publicado no J Am Coll Cardiol Img incluiu 92 pacientes com lesões coronarianas não obstrutivas (< 70% de estenose) identificadas por tomografia.

Os pacientes foram randomizados 1:1 a um grupo intervenção (seguimento sistemático com nutricionista e modificação do estilo de vida mais tratamento médico ótimo) vs. um grupo controle (tratamento médico ótimo unicamente). 


Leia também: ACC 2019 | Os novos guias de prevenção primária ACC/AHA com foco no estilo de vida, dieta e fatores socioeconômicos.


Em todos os pacientes a tomografia foi repetida após 66,9 ± 13,7 semanas. O desfecho primário foi a mudança no volume de ateroma e na composição da placa. 

Baseando-se nas unidades Hounsfield classificaram-se os componentes das placas coronarianas em cálcio denso (> 351 unidades), placa fibrosa (151 a 350 unidades) e placa fibroadiposa combinada com um núcleo necrótico (-30 a 150 unidades).

O volume de ateroma se incrementou no ramo controle (mudança de 1,1% ± 3,4%; p = 0,033) ao passo que se manteve estável no grupo intervenção (mudança de 1% ± 4.2%. p = 0,127).


Leia também: A transcendental importância das mudanças no estilo de vida.


Observou-se uma redução significativa das placas moles em ambos os grupos, embora dita redução tenha sido ainda maior no grupo intervenção, alcançando uma média de 51,3 mm3.

Conclusão

Controlar a dieta e o estilo de vida juntamente com o tratamento médico ótimo pode diminuir o ritmo da progressão da aterosclerose e reduzir o volume das placas não calcificadas em comparação com o tratamento médico ótimo unicamente. 

Título original: High-Risk Coronary Plaque Regression After Intensive Lifestyle Intervention in Nonbstructive Coronary Disease. A Randomized Study.

Referência: Jan Henzel et al. J Am Coll Cardiol Img 2020, article in press. https://doi.org/10.1016/j.jcmg.2020.10.019.


Gostaria de receber um resumo semanal com os últimos artigos científicos?

(Visited 50 times, 6 visits today)

*

Top