TAVI direto vs. pré-dilatação. Simplificar o procedimento tem seus custos?

Simplificar o TAVI tem seus custos? Ao menos para os pacientes de baixo risco incluídos no estudo PARTNER 3 a pergunta seria algo abstrata. A pré-dilatação e o TAVI direto foram igualmente seguros, embora o segundo tenha reduzido o tempo de procedimento e não implicou em maior necessidade de pós-dilatação. 

TAVI directo vs predilatación. ¿Tiene costos simplificar el procedimiento?

Ambas as estratégias foram virtualmente idênticas em termos de eventos clínicos. 

O uso de pré-dilatação durante o implante percutâneo da valva aórtica (TAVI) tem uma grande variabilidade entre os operadores, os centros, os dispositivos e os países. Parte dessa grande variabilidade se deve à falta de informação que confirme ou descarte as vantagens do implante direto, deixando a estratégia ao critério do operador. Além disso, é necessário considerar as distintas populações que estão sendo tratadas. 

No estudo PARTNER 3 foram incluídos 495 pacientes com estenose aórtica severa e sob risco cirúrgico que foram submetidos a TAVI com a válvula Sapien 3. 

A estratégia de abordagem (pré-dilatação ou implante direto) foi deixada ao critério do operador. 

O desfecho primário do estudo foi uma combinação de morte por qualquer causa, AVC ou re-hospitalização. Entre os desfechos secundários foram definidos o perfil hemodinâmico do dispositivo e a necessidade de pós-dilatação. Para comparar as populações foi utilizado propensity score

Duzentos e oitenta e seis pacientes foram submetidos a pré-dilatação (57,8%) e 209 (49,2%) receberam as válvulas mediantes implante direto. 


Leia também: Bifurcações: um longo caminho de ida e volta.


O desfecho primário em 30 dias foi de 3,8% vs. 4,8% (p = 0,604) e em um ano foi de 8,7% vs. 8,1% (p = 0,831) para pré-dilatação e implante direto, respectivamente. 

Evitar a pré-dilatação reduziu ao redor de 10 minutos de procedimento (63,2 vs. 51,4 minutos) sem impactar na taxa de pós-dilatação (24,8% vs. 18,8%; p = 0,15).

Os resultados deste trabalho se replicam em muitos outros. 

Conclusão

Tanto a pré-dilatação quanto o implante direto do TAVI foram seguros em pacientes de baixo risco cirúrgico. O implante direto reduz tempo de procedimento e não predispõe a mais necessidade de pós-dilatação. 

Título original: Impact of Predilation During Transcatheter Aortic Valve Replacement: Insights From the PARTNER 3 Trial.

Referência: Julien Ternacle et al. Circ Cardiovasc Interv. 2021 Jun 18, Online ahead of print. doi: 10.1161/CIRCINTERVENTIONS.120.010336. 


Gostaria de receber um resumo semanal com os últimos artigos científicos?

*

Top