ESC 2019 | HOPE 4: derrubar barreiras para tratar fatores de risco em países em desenvolvimento

Conforme mostrou este trabalho apresentado no ESC 2019 de Paris e simultaneamente publicado no Lancet, intervenções exaustivas realizadas por pessoal de saúde não médico e apoiadas pela família e membros da comunidade resultou em uma significativa redução da pressão sistólica, dos níveis de colesterol LDL e do risco de doença cardiovascular em pacientes da Malásia e da Colômbia.

Esta intervenção se traduziu em uma redução de 11,4 mmHg na pressão sistólica e em uma redução do nível de LDL de 15,6 mg/dl em comparação com o tratamento padrão.

Em última instância, a intervenção diminuiu o risco absoluto de doença cardiovascular no seguimento de 10 anos em 5 pontos.

Combinar terapias que diminuem a hipertensão e o colesterol efetivamente empurram para baixo o risco cardiovascular, mas o acesso e a aderência a medicações caras podem ficar abaixo do ideal justamente para aqueles que mais necessitam.


Leia também: ESC 2019 | AFIRE: monoterapia de rivaroxabana na fibrilação atrial e doença coronariana estável.


Focalizando-se em 30 comunidades da Colômbia e da Malásia, este trabalho tentou especificamente derrubar barreiras sociais para um manejo efetivo dos fatores de risco nestes dois países em desenvolvimento. A intervenção multidisciplinar consistiu na busca, detecção, tratamento e controle dos fatores de risco por pessoal não médico que visitou os pacientes em suas casas ou no centro de saúde local. Os conselhos de dito pessoal não médico estavam claramente alinhados com os médicos e as diretrizes de tratamento.

O programa incluiu, além do conselho, a provisão gratuita de medicação anti-hipertensiva (inibidores da enzima de conversão ou bloqueadores do receptor de angiotensina associados com um diurético ou um bloqueador cálcico) e estatinas (atorvastatina 20 mg ou rosuvastatina 10 mg). Como metodologia, incorporava-se um amigo ou membro da família do paciente para melhorar a aderência à medicação e às mudanças do estilo de vida.

Foi incluído um total de 1.371 participantes de mais de 50 anos e hipertensos randomizados à intervenção com toda a equipe multidisciplinar ou ao tratamento padrão.

O desfecho primário (modificação do risco cardiovascular em 10 anos) foi significativamente melhor no braço que recebeu o tratamento com a equipe multidisciplinar.

Título original: A community-based comprehensive intervention to reduce cardiovascular risk in hypertension (HOPE 4): a cluster, randomized controlled trial.

Referência: Schwalm JD et al. Lancet. 2019; Epub ahead of print.


Gostaria de receber um resumo semanal com os últimos artigos científicos?

Sua opinião nos interessa. Pode deixar abaixo seu comentário, reflexão, pergunta ou o que desejar. Será mais que bem-vindo.

*

Top