Síndromes coronarianas crônicas na atualidade

taller de imágenes y fisiología intracoronaria

Múltiplas drogas e estratégias de tratamento têm surgido nos últimos anos, mudando substancialmente o prognóstico dos pacientes com angina crônica estável ou, como intitulam as últimas diretrizes: “síndromes coronarianas crônicas”. Esta mudança na semântica parece pouco importante, mas a intenção é lembrar-nos que não são pacientes estáveis mas sim que evoluem com períodos de platôs e períodos agudos.

Os dados de 32.703 pacientes com diagnóstico de síndromes coronarianas crônicas de 45 países foram alistados no registro CLARIFY entre novembro de 2009 e junho de 2010 com seguimento de 5 anos. 

O desfecho primário de morte cardiovascular ou infarto não fatal foi de 8% para a população global (8,1% em homens e 7,6% em mulheres). 


Leia também: Cai o mito dos stents livres de polímero em alto risco de sangramento.


Os fatores preditores mais importantes de risco foram a hospitalização prévia por insuficiência cardíaca, ser fumante ativo/a, viver na América Central ou na América do Sul, infarto prévio, AVC prévio, diabetes, ter sintomas de angina e doença vascular periférica. 

Foi observada uma forte interação naqueles pacientes que combinavam o antecedente de infarto prévio com sintomas anginosos em comparação com aqueles que tinham o antecedente de infarto mas estavam assintomáticos (11,8% vs. 8.2%; p < 0,001).

Caso nunca tivessem padecido um infarto, a taxa de eventos foi similar entre aqueles pacientes que apresentavam angina e os que não a apresentavam (6,3% vs. 6,4%; p > 0,9).


Leia também: Há uma “dose” segura no que se refere ao consumo de carne?


A taxa de prescrição de medicamentos baseada na evidência para prevenção secundária foi muito alta. 

Conclusão

Este registro descreve todo o espectro de pacientes com síndromes coronarianas estáveis e mostra que apesar de uma adequada prevenção secundária os pacientes com antecedente de infarto e angina têm uma alta taxa de eventos. Este subgrupo de alto risco é facilmente identificável e justifica um tratamento intensivo. 

Descargar (PDF, Unknown)

Título original: Long-term outcomes of chronic coronary syndrome worldwide: insights from the international CLARIFY registry.

Referência: Emmanuel Sorbets et al. European Heart Journal (2020) 41, 347–355.


Gostaria de receber um resumo semanal com os últimos artigos científicos?

Sua opinião nos interessa. Pode deixar abaixo seu comentário, reflexão, pergunta ou o que desejar. Será mais que bem-vindo.

*

Top