Cardiopatia Isquêmica crónica articles

Esquema corto y monoterapia, una práctica llena de evidencia

Esquema curto e monoterapia, uma prática com muita evidência

Esquema curto e monoterapia, uma prática com muita evidência

Um esquema de 1 a 3 meses de dupla antiagregação plaquetária (DAPT) seguido de monoterapia de um inibidor P2Y12 após o implante de um stent farmacológico (DES) de 2ª geração é mais seguro e tem a mesma efetividade de um esquema tradicional. A ideia é clara, mas por que não se testou continuar apenas com

Impacto del FFR post stent ¿dato útil o solo una curiosidad?

Impacto do FFR pós-stent: dado útil ou apenas uma curiosidade?

Um resultado subótimo do fluxo fracionado de reserva (FFR) após o implante do stent tem um impacto apenas moderado nos eventos clínicos duros, mas pode predizer uma chance muito maior de reintervenções.  O FFR demonstrou – e continua demonstrando – um enorme impacto na tomada de decisões na hora de revascularizar ou não uma lesão.

Tratamiento médico óptimo

É possível alcançar o tratamento médico ótimo fora dos estudos clínicos

No período de 12 semanas prévias à randomização do estudo ORBITA foi possível otimizar com sucesso toda a medicação antianginosa.  O mais importante é que a otimização foi muito bem tolerada pelos pacientes, com escassos efeitos adversos que obrigaram a suspender a droga responsável.  A prática clínica encara com certo ceticismo a possibilidade de alcançar

ticagrelor_enfermedad_vascular_periférica

Benefício clínico específico do ticagrelor a longo prazo

O ticagrelor reduz o risco isquêmico em pacientes com antecedente de infarto agudo do miocárdio, mas aumenta o risco de sangramento. Este delicado equilíbrio é fundamental na hora de indicar o ticagrelor a longo prazo nos pacientes com antecedente de infarto. O estudo PEGASUS-TIMI 54 randomizou 21.162 pacientes com antecedente de infarto a ticagrelor 60

El éxito en las CTO reduce la isquemia residual local y a distancia

É necessário revascularizar antes do TAVI

A prevalência de doença nos pacientes com estenose aórtica severa varia muito: a partir de 80% nos pacientes inoperáveis até somente 15% segundo os mais recentes trabalhos que incluíram pacientes de baixo risco.  Devido à alta complexidade observada nos pacientes com doença coronariana, os guias sugerem considerar a revascularização com by-pass coronariano naqueles que requerem

DES con polímero bioabsorbible vs Bare Metal Stents en angioplastia primaria

Cai o último bastião dos stents convencionais

Múltiplos estudos provaram a segurança e eficácia dos stents farmacológicos (DES) em pacientes com alto risco de sangramento. Restava um último bastião para os stents convencionais (BMS): as pontes venosas.  Com evidência controversa e uma fisiopatologia diferente, muitos ainda discutiam a segurança dos DES em pontes venosas.  Este trabalho multicêntrico randomizou pacientes com lesões em

Saltearse el desayuno y riesgo cardiovascular

Regressão de placas de alto risco com mudanças do estilo de vida

Uma intervenção na dieta e no estilo de vida de nossos pacientes somada à terapia médica ótima é capaz de diminuir o ritmo da progressão e reduzir o volume de placas moles em comparação com o tratamento médico unicamente. As mudanças no estilo de vida e na dieta estão entre as estratégias mais importantes para

Colchicina post infarto: buenos resultados y costo-efectivo

Reduzir a inflamação crônica da aterosclerose com uma velha droga

A inflamação tem um papel crucial na progressão da aterosclerose. Recentemente, o estudo COLCOT mostrou o benefício do uso da colchicina em eventos cardiovasculares. Esta velha e conhecida droga tem seu efeito anti-inflamatório atenuando a cascata mediada pelo NLRP3. Isso explica seu efeito sobre os cristais de ácido úrico na gota, mas o mesmo efeito

La meseta por la que transcurre la cirugía desde hace varios años

Qual teria sido o resultado do estudo FREEDOM com FFR?

O estudo FREEDOM estabeleceu claramente o benefício da cirurgia de revascularização miocárdica por sobre a angioplastia em pacientes diabéticos com lesão de múltiplos vasos. A fisiologia coronariana como guia para a revascularização tem seu máximo potencial justamente no referido grupo de pacientes e nunca se estudou seu impacto nos diabéticos especificamente.  Este trabalho, publicado no

Ischemia

ISCHEMIA: uma nova análise pode mudar a interpretação do estudo?

Uma nova análise do ISCHEMIA mostrou que os resultados do estudo são altamente dependentes da definição que se dê ao infarto. A conclusão original mostrou uma diferença significativa entre a estratégia invasiva e a conservadora utilizando a definição mais sensível de infarto: a elevação de troponinas.  Ao analisar os eventos utilizando a definição de infarto

Ischemia

A anatomia de alto risco desafia os resultados do ISCHEMIA

Segundo esta recente análise publicada no JAHA, os pacientes com angina crônica estável e anatomia de alto risco se beneficiam da revascularização a longo prazo vs. tratamento conservador.  Isso vai contra o trabalho apresentado por Reynolds H et al no congresso da AHA 2020. O trabalho do Dr. Reynolds foi um subestudo do ISCHEMIA no

Top