AHA 2020 | O clopidogrel persiste como a melhor opção em pacientes eletivos

Os pacientes de alto risco que são submetidos a uma angioplastia eletiva e são tratados com um esquema antiplaquetário mais potente (ticagrelor) em vez do clássico clopidogrel, não têm nenhum benefício em termos de maior proteção em eventos periprocedimento, mas sim, maior custo econômico e sangramentos menores.

AHA 2020 | El clopidogrel resiste como la mejor opción en pacientes electivos

Estes são os resultados do estudo ALPHEUS apresentados no Congresso AHA 2020 e simultaneamente publicados no Lancet.

O ticagrelor não aumentou os sangramentos maiores nos pacientes eletivos, mas a falta de benefício somada aos sangramentos menores respalda a ideia de continuar com clopidogrel como padrão de tratamento.

A hipótese do trabalho foi que uma antiagregação plaquetária mais potente poderia diminuir os eventos aterotrombóticos periprocedimento (oclusão de ramo acessório, fluxo lento ou embolização distal). Não houve evidência de benefícios em eventos isquêmicos apesar do desfecho tão específico escolhido pelos pesquisadores.

O trabalho incluiu 1910 pacientes com angioplastias programadas e com alguma característica considerada de risco, e foram randomizados a ticagrelor versus clopidogrel.   


Leia também: AHA 2020 | As estatinas confirmam seu benefício na população idosa.


Foram consideradas as angioplastias complexas, as lesões de múltiplos vasos e a necessidade de stents longos.

Os pacientes receberam 180 mg de carga de ticagrelor seguidos de 90 mg duas vezes ao dia versus 300 a 600 mg de carga de clopidogrel (sob critério do operador) seguidos de 75 mg por dia. A maioria dos pacientes recebeu 600 mg de carga de clopidogrel.

O desfecho primário foi o infarto periprocedimento, segundo a 3ª definição universal de infarto ou a injúria miocárdica dentro das 48 horas da angioplastia, que aconteceu em 35,5% do grupo ticagrelor versus 36,2% no grupo clopidogrel (p = 0,75).


Lea también: AHA 2020 | Aumenta a alta precoce no TAVI com um curso esperado.


Os infartos periprocedimento (tipo 4a) foram similares entre ambos os ramos de tratamento (8,5% com ticagrelor versus 8,2% com clopidogrel; p = 0,79). A taxa de trombose do stent (infartos tipo 4b) foi idêntica entre os dois grupos, com 0,3%.

Não foram observadas diferenças nos sangramentos maiores (BARC 3 a 5), mas sim nos sangramentos menores em 30 dias (BARC 1 a 2) com 11% para ticagrelor versus 8% para clopidogrel (p = 0,007).

Descargar (PDF, Unknown)

Título original: Ticagrelor versus clopidogrel in elective percutaneous coronary intervention (ALPHEUS): a randomized, open-label, phase 3b trial.

Referência: Silvain J et al. Presentado en el congreso AHA 2020 y publicado simultáneamente en Lancet. 2020 Nov 12;S0140-6736(20)32236-4.


Gostaria de receber um resumo semanal com os últimos artigos científicos?

(Visited 22 times, 10 visits today)

*

Top