EuroPCR 2021 | CELEBRATE-02: Novo inibidor da glicoproteína IIb IIIa para infartos com ST

Com promessas de uma veloz administração subcutânea e uma rápida e potente antiagregação plaquetária, chega o novo inibidor da glicoproteína IIb IIIa, denominado RUC-4. Esta nova droga foi testada no estudo CELEBRATE-02, apresentado no EuroPCR 2021 e publicado simultaneamente em EuroIntervention.

Nuevo inhibidor de la glicoproteína IIb IIIa para infartos con ST

A inibição plaquetária média começa aos 15 minutos após a aplicação da injeção e vai aumentando com cada uma das 3 doses testadas (77,5% com a dose mais baixa e 91,7% com a dose mais alta; p = 0,002 para a tendência).

O RUC-4 foi bem tolerado pelos 27 pacientes que receberam a droga e existe o plano de começar o seguinte estudo em fase 2b, que incluiria cerca de 1600 pacientes na Europa.

Uma única dose de RUC-4 poderia ser suficiente para ser administrada de forma pré-hospitalar em pacientes cursando um infarto com supradesnivelamento do segmento ST para os quais se contempla uma angioplastia primária. 

Uma rápida reperfusão é crucial em ditos pacientes e as drogas existentes têm suas limitações.  

Por um lado, os inibidores do receptor P2Y12 orais possuem um início de ação demorado e, por outro, os inibidores da glicoproteína IIb IIIa endovenosos são um problema na fase pré-hospitalar e têm uma vida média muito prolongada. 


Leia também: Dupla antiagregação ultra curta após uma angioplastia complexa.


Esta seria a vantagem do RUC-4; que começa sua ação aos 15 minutos e as plaquetas voltam à normalidade em 2 horas.

O CELEBRATE-02 testou 3 doses diferentes de RUC-4 (0,075, 0,09 e 0,11 mg/kg) em pacientes cursando um infarto com angioplastia primária planejada.

A droga foi administrada com uma única injeção subcutânea antes da angiografia, durante a qual se administrou heparina para alcançar um ACT abaixo de 200 segundos. Noventa e três por cento da população recebeu aspirina e ticagrelor.


Leia também: ACC 2021 | VOYAGER PAD: utilidade da rivaroxabana após de uma angioplastia periférica.


O desfecho primário foi o número de pacientes com pelo menos 80% de inibição dentro dos 15 minutos da administração da injeção. Cinquenta por cento das plaquetas funcionavam normalmente às 2 horas.

A trombocitopenia (um dos piores efeitos adversos dos inibidores tradicionais da glicoproteína) não foi observada em nenhum paciente que recebeu RUC-4.

Os dois sangramentos maiores relacionados ao acesso poderiam ser atribuídos à perfuração de ramos colaterais da artéria radial pelo guia ao avançar sem controle de fluoroscopia. 

Descargar (PDF, Unknown)

Título original: Pharmacokinetics, pharmacodynamics, and tolerability of subcutaneous administration of a novel glycoprotein IIb/IIIa inhibitor, RUC-4, in patients with ST-segment elevation myocardial infarction.

Referencia: Bor WL et al. EuroIntervention 2021;17-online publish-ahead-of-print May 2021. DOI: 10.4244/EIJ-D-21-00287.


Gostaria de receber um resumo semanal com os últimos artigos científicos?

*

Top