Insuficiência mitral significativa associada a choque cardiogênico: será que o tratamento borda a borda é uma estratégia válida?

Getting your Trinity Audio player ready...

Na atualidade, o choque cardiogênico continua apresentando uma mortalidade elevada apesar dos novos tratamentos e dispositivos de assistência ventricular disponíveis em alguns centros. 

Resultados alentadores en la válvula mitral percutánea en los pacientes complejos

A presença de insuficiência mitral (IM) significativa nesse grupo é de aproximadamente 5%, sendo em muitas ocasiões não passível de tratamento mediante cirurgia pela condição hemodinâmica. 

O tratamento borda a borda foi analisado em alguns estudos pequenos com resultados alentadores. 

Fez-se uma análise do Registro STS/ACC de pacientes com choque cardiogênico e IM significativa que receberam tratamento borda a borda com MitraClip. 

Foram incluídos 3.797 pacientes. Dentre eles, 3.249 (85,6%) tiveram um implante bem-sucedido do dispositivo. 

As populações foram similares, a idade média foi de 73 anos, com 60% de homens, 80% de hipertensão, 2% de endocardite, 37% de infarto prévio, 35% de ATC prévia e 64% de fibrilação atrial. 

A causa da IM foi degenerativa em 53,4% e o STS foi de 15%.

Leia também: Utilização de IVUS em doença vascular periférica. Devemos utilizar essa ferramenta mais frequentemente em intervenções periféricas?

Em 30 dias as complicações do procedimento foram muito baixas, sem haver diferenças, mas a mortalidade foi maior entre os pacientes que apresentavam falha do implante do dispositivo (16,4% vs. 9,1%; p < 0,001). A estadia hospitalar também foi menor no grupo que não apresentou falha no implante (14,3 vs. 12,2 dias; p < 0,001).

Em um ano de seguimento, a mortalidade foi menor no grupo que teve sucesso no implante do dispositivo (34,6% vs. 55,5%; p < 0,001), com um número necessário a tratar (NNT) de 4,8 pacientes. Por sua vez, a combinação de mortalidade e internações por insuficiência cardíaca também foi menor neste grupo (29,6% vs. 45,2%; p < 0,001; NNT 6,4).

Conclusão

A redução da insuficiência mitral é efetiva na maioria dos pacientes com choque cardiogênico que são tratados com a abordagem borda a borda e observou-se uma significativa menor mortalidade e hospitalizações por insuficiência cardíaca. São necessários estudos randomizados sobre o tratamento borda a borda em pacientes com choque cardiogênico para estabelecer o potencial desta terapêutica. 

Dr. Carlos Fava - Consejo Editorial SOLACI

Dr. Carlos Fava.
Membro do Conselho Editorial da SOLACI.org.

Título Original: Transcatheter Edge-to-Edge Mitral Valve Repair in Patients With Severe Mitral Regurgitation and Cardiogenic Shock.

Referência: Trevor Simard, et al. J Am Coll Cardiol 2022;80:2072–2084.


Subscreva-se a nossa newsletter semanal

Receba resumos com os últimos artigos científicos

*

Top