Tag Archives: insuficiencia mitral

¿Qué usar para medir funcionalmente una lesión coronaria en el contexto de estenosis aórtica severa?

Anuloplastia percutânea em insuficiência mitral funcional vs. procedimento fingido

Anuloplastia percutânea em insuficiência mitral funcional vs. procedimento fingido

Quando é difícil que os fármacos ou dispositivos demonstrem uma melhora em desfechos duros (desfechos definitivos) como a mortalidade, faz-se necessário buscar desfechos mais suaves (desfechos substitutos) e fáceis de provar. O problema é que os desfechos substitutos ou sub-rogados são muitas vezes subjetivos (como a sensação de dispneia ou angina de peito) e poderiam

Las ondas venosas pulmonares en el MitraClip tienen valor pronóstico

1000 MitraClips, os resultados do centro com mais experiência de todo o mundo

Em setembro de 2008 os intervencionistas do Heart and Vascular Centre Hamburg tiveram a primeira experiência com o dispositivo MitraClip depois de o mesmo ter obtido o CE-mark na Europa. Em julho de 2019, o mesmo centro alcançou o incrível número de 1.000 MitraClips, tornando-se assim o centro com a maior experiência acumulada em todo

MitraClip frecuencia ritmo cardíaco

Podemos resolver a insuficiência mitral residual severa após implante do MitraClip sem cirurgia?

Gentileza do Dr. Carlos Fava. A estratégia “edge-to-edge” com MitraClip demostrou ser efetiva e segura e seus resultados têm melhorado com a maior experiência que os operadores vêm adquirindo nos últimos anos. No entanto, um de seus grandes desafios se apresenta quando após o implante do dispositivo não conseguimos reduzir a insuficiência mitral (IM). Isso

MitraClip no “Mundo Real”

Gentileza do Dr. Carlos Fava. A insuficiência mitral (IM) é a valvopatia mais frequente na Europa e nos Estados Unidos, alcançando aproximadamente 10% dos pacientes com mais de 75 anos e implicando uma maior morbidade e mortalidade. O tratamento de escolha é a reparação em vez do implante para manter o aparato subvalvar que contribui

TAVI en bajo riesgo con “cero” mortalidad y “cero” stroke

A importância da etiologia da insuficiência mitral

Gentileza do Dr. Carlos Fava. A etiologia da insuficiência mitral (IM) pode ser primária, orgânica ou degenerativa e secundária ou funcional. Estas duas entidades apresentam uma fisiopatologia diferente. A estratégia para seu tratamento é diferente e na atualidade a terapia edge-to-edge com MitraClip surge como uma alternativa válida nos pacientes de alto risco. Analisaram-se 943

Cirugía para mejorar la sobrevida en insuficiencia tricuspidea aislada

Qual a importância da insuficiência tricúspide associada ao TAVI?

Gentileza do Dr. Carlos Fava. A insuficiência mitral severa ou moderada a severa se associa a uma pior evolução no TAVI, mas não devemos esquecer a valva tricúspide que – embora não esteja muito estuda – também se associaria a um impacto negativo em sua evolução. Realizou-se uma metanálise de 12 estudos com um total

A reparação da valva mitral com MitraClip demonstrou ser factível e segura

A reparação percutânea da valva mitral (TMVR) com o dispositivo MitraClip demonstrou ser factível e segura, constituindo-se em uma opção válida para os pacientes sintomáticos com insuficiência mitral severa com risco proibitivo. Neste estudo, o procedimento alivia os sintomas, a insuficiência cardíaca e tem um potencial benefício sobre o remodelamento ventricular. No entanto, muitos pacientes

La reparación de la válvula mitral con Mitraclip es segura en pacientes de alto riesgo

MitraClip “Off Label” com bons resultados

Gentileza do Dr. Carlos Fava. A insuficiência mitral é a doença valvar mais frequente, chegando a atingir mais de 6% dos idosos a partir de 65 anos. Atualmente, a cirurgia é a estratégia de escolha, sendo o tratamento percutâneo uma alternativa válida.   Na atualidade, não se avaliou qual é a evolução a longo prazo

MitraClip: ¿debemos intervenir antes a nuestros pacientes?

Monitoramento da pressão atrial durante o MitraClip além da ecocardiografia

O objetivo deste trabalho foi avaliar a utilidade adicional de medir a pressão no átrio esquerdo como complemento das imagens do ecocardiograma Doppler transesofágico. A eficácia do procedimento é medida em sala pelos resultados do eco. No entanto, estas medições dependem do operador e podem ser influenciadas pela função do ventrículo esquerdo e pela complacência

Top