Devemos fazer revascularização completa no infarto agudo do miocárdio com múltiplos vasos?

Gentileza do Dr. Carlos Fava.

Já faz muitos anos que a angioplastia transluminal coronariana (ATC) primária é o tratamento de escolha no infarto agudo do miocárdio (IAM), mas em um grupo grande de pacientes se associa a lesões dos vasos não culpados. Embora se haja demonstrado que a revascularização dos vasos não culpados apresenta melhor evolução, ainda não se sabe com clareza que grupos seriam os beneficiados.

El FFR ahorra síntomas a los pacientes y costos a los financiadores de salud

No presente estudo foram incluídos pacientes que tinham recebido ATC primária. Aqueles que apresentavam lesões > 70% por avaliação visual ou 50-69% com FFR ≤ 0,80 foram randomizados a revascularização ou tratamento médico.

Assim sendo, foram estudos 4.041 pacientes. Dentre eles, 2.016 receberam revascularização completa (RC) e 2.025 receberam revascularização do vaso culpado (RVC).

O desfecho coprimário foi a combinação de morte cardiovascular ou novo IAM, e o desfecho secundário foi definido como morte cardiovascular, novo IAM ou revascularização guiada por isquemia.


Leia também: Devemos começar a utilizar o acesso retrógrado na isquemia crítica crônica?


Os grupos tiveram resultados similares, sem terem sido constadas diferenças.

Dentro dos 45 dias houve um cross-over do grupo que recebeu RVC a RC de 4,7%, e vice-versa de 3,9%.

Na análise de 3 anos de seguimento o desfecho coprimário ficou a favor da RC: 7,8% vs. 10,5% (hazard ratio 0,74, 95% confidence interval [CI] 0,60 a 0,91; p = 0,004). Isso se deveu ao menor índice de morte e novo IAM (2,9% vs. 3,2% e 5,4% vs. 7,9%). Enquanto isso, o desfecho secundário também mostrou número favoráveis à RC: 8,9% vs. 16,7% (hazard ratio 0,51; 95% CI 0,43 a 0,61; p < 0,001).


Leia também: Qual é o verdadeiro impacto da doença vascular periférica no TAVI?


Não houve diferenças no que se refere à presença de trombose do stent, sangramento maior e AVC.

Conclusão

Nos pacientes que apresentam infarto agudo do miocárdio e lesões de múltiplos vasos a revascularização completa foi superior à revascularização somente do vaso culpado em termos de redução do risco de morte por causa cardiovascular e novo infarto do miocárdio, bem como na revascularização guiada por isquemia”.

Gentileza do Dr. Carlos Fava.

Título original: Complete Revascularization with Multivessel PCI for Myocardial Infarction. COMPLETE Trial Steering Committee and Investigators.

Referência: Shamir R. Mehta, et al. N Engl J Med Sep 1 DOI: 10.1056/NEJMoa1907775.


Sua opinião nos interessa. Pode deixar abaixo seu comentário, reflexão, pergunta ou o que desejar. Será mais que bem-vindo.

*

Top