COVID-19 e seus efeitos cardiovasculares a longo prazo

Muitos lugares do mundo ainda não experimentaram o pior da pandemia. Enquanto isso, em outros lugares, volta a recrudescer o número de casos. Nesse contexto, começamos a vislumbrar o efeito a longo prazo da COVID-19.

COVID-19 efectos cardiovasculares

Para muitos essa não é uma preocupação de hoje, mas sem dúvida será um problema no futuro. 

É crucial reconhecermos as morbidades e complicações cardiovasculares para mitigar a infecção ativa. Podemos enumerar a miocardite, o infarto, o AVC, o tromboembolismo vascular e uma síndrome inflamatória multissistêmica em crianças. 

Após a fase aguda é pouco o que se sabe, mas publicações recentes começaram a determinar o seu impacto

O trabalho do Dr. Puntmann e col. mostrou que 78% dos pacientes adultos recuperados de COVID-19 apresentaram algum tipo de comprometimento miocárdico. Dito comprometimento se relacionou, na maioria dos casos, com uma inflamação diagnosticada por ressonância e com troponina ultrassensível positiva. Os resultados da ressonância contrastam com os das autópsias. Nestas últimas, a evidência de miocardite por COVID-19 é até 10 vezes mais baixa que nas ressonâncias. 


Lea también: O ponto crucial que não observamos na doença vascular periférica.


É possível que essa discrepância entre ressonância e anatomia patológica se deva a uma interpretação superestimada das ressonâncias, que poderiam estar simulando inflamação. Poderia haver tantas variáveis fisiológicas quanto técnicas. 

Outros coronavírus como o SARS e o MERS produziram miocardite apenas de forma excepcional. Se o novo coronavírus SARS-CoV-2 não for funcionalmente diferente de seus antecessores, não deveríamos esperar uma inflamação cardíaca a longo prazo

Esta pandemia nos mostrou a importância dos estudos de anatomia patológica. As autópsias de qualidade permitiram calibrar a clínica, os achados radiológicos e os de laboratório durante a infecção. 


Leia também: Suplementos alimentares e dietas que não modificam o risco cardiovascular.


Essas autópsias, em sua maioria, mostraram que a maior parte dos achados patológicos no sistema cardiovascular eram secundários à inflamação e não causados diretamente pelo vírus. 

Por último, temos que balancear o risco de saúde pública da COVID-19 com outras considerações muito mais individuais de saúde, como a física, a mental e a emocional. 

Descargar (PDF, Unknown)

Título original: An Urgent Need for Studies of the Late Effects of SARS-CoV-2 on the Cardiovascular System.

Referência: Joseph J. Maleszewski et al. Circulation. 2020 Sep 24. Online before print. DOI: 10.1161/CIRCULATIONAHA.120.051362.


Gostaria de receber um resumo semanal com os últimos artigos científicos?

Sua opinião nos interessa. Pode deixar abaixo seu comentário, reflexão, pergunta ou o que desejar. Será mais que bem-vindo.

*

Top