Resultados subótimos são piores que o fracasso nas recanalizações

Esta grande coorte de pacientes submetidos a angioplastia por uma oclusão total crônica mostrou que o resultado subótimo se associa com morte cardíaca e infarto do miocárdio a longo prazo em comparação com um resultado ótimo ou com uma recanalização malsucedida. 

Resultados subóptimos son peores que el fracaso en las recanalizaciones

 

A associação entre o resultado agudo e os eventos a longo prazo nas recanalizações foi pouco estudada. Em relação ao que ocorre com os resultados subótimos, impõe-se a pergunta: conseguir algo é melhor que nada ou o remédio pode ser pior que a doença? 

Este trabalho, que proximamente será publicado no JACC: Cardiovascular Interventions, incluiu 2659 pacientes consecutivos que receberam recanalização por uma oclusão total crônica entre 2010 e 2013.

Os resultados do procedimento foram classificados em três grupos: 1) recanalização ótima naqueles pacientes com reperfusão do vaso ocluído e seus ramos laterais com fluxo TIMI III; 2) recanalização subótima por persistência de um ramo lateral ocluído, fluxo TIMI de menos de III ou estenose residual > 30%; 3) procedimento malsucedido por impossibilidade de atravessar a lesão com o guia ou de dilatar com balão.


Leia também: Os artigos mais relevantes sobre doença coronariana de 2020.


O desfecho primário foi a combinação de morte cardíaca e infarto agudo em 5 anos. 

A recanalização ótima foi alcançada em 1562 pacientes (58,7%) da população ao passo que o resultado foi subótimo em 399 (15%) pacientes e malsucedido em 698 (26,3%).

A taxa do desfecho primário em 5 anos foi significativamente maior no grupo com recanalização subótima em comparação com o grupo no qual se conseguiu uma recanalização ótima ou o grupo no qual o procedimento foi malsucedido (10,1% vs. 6,5% vs. 6,3%, respectivamente; p = 0,046).


Leia também: ProGlide Vs Prostar XL para cerrar el acceso post TAVI.


Mais interessante ainda é a taxa similar de eventos entre aqueles nos quais a recanalização foi bem-sucedida e aqueles nos quais a artéria ficou ocluída. 

Conclusão

Nesta grande coorte de pacientes que foram submetidos a recanalização por uma oclusão total crônica a incidência de morte cardíaca e infarto agudo é significativamente maior naqueles pacientes com resultados subótimos em comparação com os pacientes nos quais se alcançou um resultado ótimo ou aqueles em que o procedimento fracassou. 

Descargar (PDF, Unknown)

Título original: Association of Acute Procedural Results with Long-term Outcomes After CTO-PCI.

Referência: Changdong Guan et al. JACC: Cardiovascular Interventions (2020), article in press. doi: https://doi.org/10.1016/j.jcin.2020.10.003.


Gostaria de receber um resumo semanal com os últimos artigos científicos?

(Visited 1 times, 1 visits today)

*

Top