Tipo de lesão articles

Espaço do Fellow | 3° Caso Clínico: Bifurcações verdadeiras: Que estratégia devemos utilizar?

Espaço do Fellow | 3° Caso Clínico: Bifurcações verdadeiras: Que estratégia devemos utilizar?

Chega o terceiro caso clínico do Espaço do Fellow para continuarmos discutindo e aprendendo junto a toda a comunidade de Fellows em hemodinâmica da América Latina.  Nesta terceira entrega, apresentamos o caso Bifurcações verdadeiras: que estratégias devemos utilizar? Índice de conteúdos 1- Apresentação do caso 2- Resolução do caso 3- Comentários do especialista Autores do

DKCRUSH-V: El tronco de la coronaria izquierda no es una bifurcación más

Bifurcações: um longo caminho de ida e volta

Quando parecia que o mais simples tinha melhores resultados continuaram os estudos com a técnica de DK Crush. Com efeito, com os resultados do estudo COVIS III em bifurcações, aparentemente começamos a dar marcha ré e voltamos às bases.  O propósito deste trabalho foi comparar os resultados de longo prazo de uma estratégia ultra simples

IVUS vs OCT para guiar la angioplastia ¿Cuál elegir?

IVUS vs. iFR para tomar a decisão no tronco da coronária esquerda

Nenhuma lesão da árvore coronariana tem maior impacto no prognóstico que o tronco da coronária esquerda. Isso faz com que os cardiologistas intervencionistas tendam a exagerar ou subestimar as imagens angiográficas. Em outras palavras, na vida real nunca informamos uma angiografia com lesão moderada do tronco da coronária esquerda.  Essa realidade deve ser objetivada porque

EuroPCR 2021 | COLOR: Angioplastias complejas por acceso radial vs femoral

EuroPCR 2021 | COLOR: Angioplastias complexas por acesso radial vs. femoral

Tratar oclusões totais, bifurcações complexas, lesões grosseiramente calcificadas ou tronco da coronária esquerda por acesso radial se associa com uma significativa redução dos sangramentos relacionados ao acesso e complicações vasculares vs. o acesso femoral. Este tipo de procedimentos foi excluído dos trabalhos que randomizaram a acesso radial vs. femoral. O estudo COLOR utilizou o introdutor

stent-provisional-2-stent

EuroPCR 2021 | EBC MAIN: stent provisional vs. 2 stents sistemáticos no tronco

Uma estratégia de stent provisional para tratar o tronco da coronária esquerda teve um resultado não inferior a 2 stents sistemáticos no estudo EBC MAIN apresentado no EuroPCR 2021 e simultaneamente publicado no European Heart Journal. O desfecho primário combinado de morte, infarto e revascularização da lesão alvo foi de 14,7% para o stent provisional

Acceso transradial distal bilateral para recanalización de oclusión total crónica e intervención percutánea para enfermedad coronaria multivaso

[Caso Clínico Patrocinado de APT Medical] Acesso transradial distal bilateral para recanalização de oclusão total crônica e intervenção percutânea em doença coronariana multiarterial

Introdução A oclusão total crônica (OTC) representa o cenário mais desafiador para a intervenção coronária percutânea (ICP) e a doença coronariana multiarterial (DCM) é frequentemente tratada de maneira escalonada e em um procedimento diferido. Embora o transfemoral seja um dos locais de acesso comum, o acesso transradial (TRA) tem sido usado com sucesso em procedimento

Menor mortalidade com as recanalizações vs. tratamento médico

O benefício em desfechos duros como mortalidade se fez esperar quando de recanalizações falamos, mas finalmente podemos ter acesso a essa informação. Os pacientes com oclusões totais crônicas (CTO) em que se tentou a recanalização como estratégia inicial mostraram uma maior sobrevida em comparação com os que receberam tratamento médico.  Como estratégia inicial de tratamento,

¿En qué pacientes intentar la recanalización de una oclusión crónica total?

As oclusões totais deveriam influir na estratégia de revascularização?

O sucesso ou o fracasso da revascularização de uma oclusão total crônica (CTO) não afeta a mortalidade em seguimento de 10 anos e isso não depende da estratégia de revascularização (angioplastia vs. cirurgia) ou da localização da oclusão total.  O benefício clínico a longo prazo da recanalização e angioplastia ou do bypass em uma CTO

Resultados subótimos são piores que o fracasso nas recanalizações

Esta grande coorte de pacientes submetidos a angioplastia por uma oclusão total crônica mostrou que o resultado subótimo se associa com morte cardíaca e infarto do miocárdio a longo prazo em comparação com um resultado ótimo ou com uma recanalização malsucedida.    A associação entre o resultado agudo e os eventos a longo prazo nas

Top