O mito do polímero degradável também cai para as SCA

No Congresso TCT 2020 tivemos uma primícia dos resultados dos DES com polímero biodegradável vs. polímero permanente em pacientes cursando uma síndrome coronariana aguda (SCA). Agora é publicada a letra miúda e o trabalho definitivo do HOST-REDUCE-POLYTECH-ACS, que reduz as expectativas colocadas nos stents com polímero degradável. 

mito del polímero degradable

Em pacientes cursando uma SCA que são submetidos a angioplastia, os stents com polímero degradável alcançam apenas a não inferioridade vs. os stents com polímero permanente em um ano de seguimento. 

O desfecho primário orientado aos pacientes foi uma combinação de morte por qualquer causa, infarto não fatal e qualquer revascularização repetida em seguimento de um ano. 

O desfecho secundário orientado ao dispositivo foi uma combinação de morte cardíaca, infarto relacionado ao vaso alvo ou revascularização da lesão alvo. 

Em total foram randomizados 3413 pacientes, dos quais 1713 receberam DES com polímero permanente e 1700 com polímero degradável. 

O desfecho primário orientado por paciente alcançou a não inferioridade com 5,2% nos DES com polímero durável e 6,4% para polímero degradável (p para não inferioridade < 0,001).


Leia também: SCOPE I: Acurate NEO vs. Sapien 3: alcança a não inferioridade em um ano?


O desfecho orientado por dispositivo ocorreu com menos frequência nos DES com polímero durável: 2,6% vs. 3,9% dos DES com polímero degradável. 

Esta diferença se baseou em uma menor revascularização da lesão alvo nos DES com polímero durável. Neste desfecho combinado orientado por dispositivo a nova tecnologia não alcançou a não inferioridade. 

As taxas de infartos espontâneos ou de trombose do stent foram extremamente baixas em ambos os ramos e sem diferenças significativas (0,6% vs. 0.8%; p = 0,513 e 0,1% vs. 0,4%; p = 0,174, respectivamente).

Conclusão

Os DES com polímero degradável alcançaram a não inferioridade vs. os DES com polímero permanente em pacientes cursando uma síndrome coronariana aguda. 

Isso é válido para o desfecho combinado orientado por paciente mas não no orientado por dispositivo, no qual os DES com polímero degradável mostraram mais revascularizações da lesão alvo. 

Descargar (PDF, Unknown)

Título original: Durable Polymer Versus Biodegradable Polymer Drug-Eluting Stents After Percutaneous Coronary Intervention in Patients with Acute Coronary Syndrome. The HOST-REDUCE-POLYTECH-ACS Trial.

Referência: Hyo-Soo Kim et al. Circulation. 2021;143:1081–1091. DOI: 10.1161/CIRCULATIONAHA.120.051700.


Gostaria de receber um resumo semanal com os últimos artigos científicos?

*

Top