Qual a utilidade do IVUS nas angioplastias dos membros inferiores?

A doença vascular periférica está em aumento e a angioplastia periférica (ATP) é na atualidade o primeiro tratamento para a maioria dos pacientes. 

¿Es útil el IVUS en las angioplastias de los miembros inferiores?

A utilização do IVUS no território coronariano demonstrou um grande benefício, especialmente nas angioplastias do tronco da coronária esquerda e nas angioplastias complexas, diminuindo a mortalidade e a reestenose, mas no território dos membros inferiores dispomos de pouca informação (embora a pouca informação de que dispomos seja alentadora) no que se refere a seus resultados. 

Fez-se uma análise de 85.649 pacientes submetidos a ATP no Japão. Dentre eles, 50.925 (59,5%) foram realizadas com IVUS. 

O desfecho primário (DP) foi amputação maior ou menor em 12 meses após o procedimento. 

A idade média foi de 74 anos e mais de 70% dos pacientes eram homens. Aqueles nos quais se utilizou IVUS apresentavam mais comorbidades, demência, internações e foram usados mais dispositivos (stents, DEB e aterótomos), motivo pelo qual foi feito um propensity score match para homogeneizar os grupos, ficando 31.534 pacientes em cada grupo.

Leia também: Baixo fluxo e estenose aórtica: podemos avaliar de forma invasiva?

O DP foi favorável ao grupo no qual se utilizou IVUS (6,9% vs. 9,3%HR, 0,80 [95% CI, 0,72–0,89] p < 0,001). Além disso, esta população também apresentou menor necessidade de cirurgia y by-pass (2,5% vs. 4,9% HR, 0,51[95% CI, 0,44–0,60] p < 0,001) e de stent graft em comparação com o grupo no qual não se utilizou IVUS. Por outro lado, apresentaram mais reintervenções e readimissões, sem ter havido, no entanto, diferenças em termos de mortalidade. 

O custo total da internação foi menor no grupo IVUS. 

Conclusão

Neste estudo retrospectivo a angioplastia periférica guiada por IVUS se associou a menor risco de amputação em comparação com a angioplastia periférica não guiada por IVUS. Esses dados devem ser cuidadosamente interpretados já que o estudo tem a limitação de ser observacional de dados administrativos. São necessárias mais pesquisas para confirmar que a utilização de IVUS conduz a uma diminuição das amputações. 

Dr. Carlos Fava - Consejo Editorial SOLACI

Dr. Carlos Fava.
Membro do Conselho Editorial da SOLACI.org.

Título Original: Amputation After Endovascular Therapy With and Without Intravascular Ultrasound Guidance: A Nationwide Propensity Score–Matched Study.

Referência: Nao Setogawa, et al. Circ Cardiovasc Interv. 2023;16:e012451. DOI: 10.1161/CIRCINTERVENTIONS.122.012451.


Subscreva-se a nossa newsletter semanal

Receba resumos com os últimos artigos científicos

*

Top