Femoral articles

Webinar SOLACI | Angioplastia de Miembros Inferiores.Presentación del Registro LATAM Peripheral.

Veja novamente nosso Webinar sobre Angioplastia de Membros Inferiores. Registro LATAM Peripheral

Veja novamente nosso Webinar sobre Angioplastia de Membros Inferiores. Registro LATAM Peripheral

Veja novamente nosso Webinar sobre “Angioplastia de Membros Inferiores. Registro LATAM Peripheral” em nossa conta do YouTube. 

Seguridad de combinar los nuevos anticoagulantes y la doble antiagregación

Evidência ou teoria? Esquema de antiagregação após uma angioplastia periférica

A indicação do esquema de antiagregação após uma angioplastia periférica de membros inferiores pode variar em torno de 50% conforme os diferentes centros, os diferentes operadores e os diferentes procedimentos. Isso revela o enorme grau de variabilidade na indicação e a escassa evidência que existe sobre o tema.  A maioria dos cardiologistas quer trasladar a

angioplastia femoral

SOLACI PERIPHERAL | 3° Caso Clínico: Angioplastia Femoral

Continuando com seu programa de Discussão de Casos Clínicos, o Departamento de Intervenções Periféricas da SOLACI (SOLACI Peripheral) apresenta a terceira entrega para promover o intercâmbio de conhecimentos com toda a comunidade de hemodinamistas latino-americanos. Conte-nos sua opinião em relação ao caso e sua resolução nos comentários e responda às perguntas que se encontram no

ACC 2020 Virtual | Sub-análisis del COMPASS: la diabetes aumenta el beneficio del rivaroxaban más AAS

ACC 2020 Virtual | Subanálise do COMPASS: a diabetes aumenta o benefício da rivaroxabana mais AAS

Nos pacientes com doença coronariana ou periférica estável a diabetes aumenta o benefício da combinação de baixas doses de rivaroxabana somada à aspirina vs. somente a aspirina.  Esta análise estava pré-especificada no protocolo do COMPASS e foi apresentada de forma virtual no ACC 2020 e simultaneamente publicada na revista Circulation.  Os pacientes com diabetes mostraram

isquemia crítica de miembros inferiores

Novas diretrizes europeias sobre isquemia aguda de membros inferiores

As diretrizes da prática clínica são sempre tediosas e, francamente, constituem um esforço enorme de muitos para que finalmente sejam cabalmente lidas por muito poucos.  Estas novas diretrizes europeias sobre isquemia aguda de membros inferiores representam um especial esforço de equipe, já que foram incluídos clínicos, cardiologistas, cirurgiões e intervencionistas. Entretanto, o resultado final não

Programas de ejercicios en la enfermedad vascular periférica

Programas de exercícios na doença vascular periférica

O exercício programado está recomendado como a estratégia de abordagem inicial para a doença vascular periférica. A maioria dos programas de exercício incluem a caminhada em esteira de maneira supervisada umas duas ou três vezes por semana em um lugar estratégico (por exemplo, uma academia de ginástica). Ditos programas são frequentemente abandonados pelos pacientes devido

HIV e doença vascular: uma associação que começamos a reconhecer

O efeito do vírus da imunodeficiência humana (HIV) no desenvolvimento da doença vascular (especificamente da doença vascular periférica) ainda não está completamente dilucidado. É o vírus em si o responsável pela doença vascular ou esta é na verdade uma consequência da dislipidemia que têm como efeito muitos antirretrovirais? Este trabalho investigou o efeito da infecção

Cai a mortalidade da doença vascular periférica graças à revascularização

Este trabalho de coorte nos mostra que entre 2006 e 2015 a sobrevida global melhorou e o risco de amputação maior diminuiu após a revascularização de membros inferiores. Estas observações populacionais após a revascularização de membros inferiores melhoraram durante o período avaliado, da mesma forma que melhorou a centralização e a especialização dos serviços intervencionistas.

Los 10 mandamientos de las nuevas guías sobre enfermedad periférica de la ESC

Os 10 mandamentos dos novos guias da ESC sobre doença periférica

Os autores realizam um resumo muito ameno dos pontos mais importantes dos novos guias sobre diagnóstico e tratamento da doença vascular periférica. Esperamos que a enumeração do mais importante em 10 pontos à imagem dos mandamentos evite-lhes a sempre tediosa tarefa de ler um guia completo. Em janeiro de 2018 o artigo dos 10 mandamentos

As novidades dos guias Europeus em doença vascular periférica

Desde a última versão dos Guias Europeus para o diagnóstico e tratamento da doença vascular periférica de 2011 foram publicados muitos trabalhos e registros que justificam um ajuste em vários pontos. A grande novidade foi o “trabalho em equipe”, já que pela primeira vez os guias foram feitos em colaboração com a Sociedade Europeia de

Pré-tratamento com estatinas para prevenir eventos periangioplastia carotídea

Qual é o efeito das estatinas sobre as amputações e a sobrevida na doença vascular periférica?

A prevalência da doença arterial periférica é de entre 15 e 20% dos pacientes idosos a partir de 65 anos e sua gravidade está muito subestimada. De fato, a mortalidade anual é maior nos pacientes com doença arterial periférica (8,2%) do que a observada naqueles pós-infarto agudo do miocárdio (6,3%). Apesar disso, o conselho médico e os esforços

Top