Tag Archives: doença vascular periférica

Más stents suman evidencia al esquema corto y nos acercamos al “efecto de clase”

Revascularização com DES em doença infrapoplítea: metanálise e mudança de paradigma?

A doença vascular periférica (DVP) foi subestudada e pouco reconhecida na comparação com a cardiopatia isquêmica e o AVC, apesar do impacto conhecido que tem sobre a qualidade de vida e também apesar da morbimortalidade associada. Estima-se que, em 2015, segundo uma revisão sistemática, aproximadamente 238 milhões de pessoas tinham DVP em todo o mundo,

Programas de ejercicios en la enfermedad vascular periférica

A discrepância entre angina e isquemia se repetem em doença periférica

Três estudos randomizados mostraram que o exercício melhora significativamente o resultado do teste de caminhada dos 6 minutos em pacientes com doença vascular periférica. No entanto, muitos deles não perceberam nenhuma mudança ou inclusive pioraram.  Estes achados sugeriram uma discrepância significativa entre a medição objetiva da caminhada e a mudança subjetiva percebida pelos pacientes.  Quatrocentos

ELUVIA: DES en territorio femoropoplíteo con lesiones complejas

ELUVIA: DES em território fêmoro-poplíteo com lesões complexas

O stent eluidor de paclitaxel Eluvia mostrou resultados promissores em seguimento de 2 anos com 80% de liberdade de revascularizações apesar de se tratarem de lesões complexas do território fêmoro-poplíteo. À medida que a segurança dos dispositivos eluidores de paclitaxel vai ganhando consistência, começam a ser publicados mais estudos sobre sua eficácia. Em 2018 a

ACC 2021 | VOYAGER PAD: utilidad del rivaroxaban luego de una angioplastia periférica

ACC 2021 | VOYAGER PAD: utilidade da rivaroxabana após de uma angioplastia periférica

Os pacientes com doença vascular periférica submetidos a angioplastia em território dos membros inferiores se beneficiam com o tratamento com rivaroxabana segundo o estudo VOYAGER PAD apresentado nas sessões científicas do ACC 2021 e simultaneamente publicado no JACC. Os pacientes com doença vascular periférica não só apresentam um alto risco de eventos isquêmicos nos membros

SAFE-PAD: Dispositivos liberadores de paclitaxel en enfermedad periférica

ACC 2021 | Dispositivos eluidores de paclitaxel em doença periférica

Este trabalho foi realizado em conjunto com a FDA para investigar a associação entre mortalidade por qualquer causa e os dispositivos eluidores de paclitaxel em doença vascular periférica.  Segundo os dados do SAFE-PAD apresentado no congresso do ACC 2021 e simultaneamente publicado na JAMA não existe um aumento da mortalidade em comparação com os dispositivos

Diabetes y enfermedad vascular periférica: viejas drogas con nueva evidencia

Diabetes e doença vascular periférica: velhas drogas com nova evidência

Este trabalho recentemente publicado no JAHA mostrou que os pacientes com diabetes mellitus tipo 2 que apresentam doença vascular de membros inferiores se beneficiam com a combinação de cilostazol e clopidogrel.  O tratamento por ao menos 6 meses com 75 mg/dia de clopidogrel e 100 mg/2 vezes por dia de cilostazol reduz significativamente a incidência

SOLACI PERIPHERAL | 5° Caso Clínico: Aneurisma de Aorta abdominal com colo hostil

Novo caso clínico da área SOLACI PERIPHERAL! Nesta oportunidade, trazemos um caso sobre “Aneurisma de Aorta Abdominal com Colo Hostil”. Com este caso, encerramos um intenso ano no qual já publicamos 5 casos clínicos para aprofundar e estimular o intercâmbio entre colegas intervencionistas latino-americanos.  Conte-nos sua opinião a respeito do caso nos comentários e responda

Continuar con la actividad física luego de un IAM reduce la mortalidad

O ponto crucial que não observamos na doença vascular periférica

Orientar os pacientes com doença vascular periférica a realizar exercício supervisado é fundamental para mudar o seu prognóstico. Isso deveria ser uma mudança cultural e não somente ocorrer no âmbito da recomendação individual.  A atividade física como estilo de vida reduz o risco cardiovascular e diminui a incapacidade física em pacientes com doença vascular periférica. 

Top