O Impella oferece segurança na ATC do TCI não protegido de alto risco

Gentileza do Dr. Carlos Fava.

A presença de lesões severas no tronco da coronária esquerda (TCI) não protegido oscila entre 4% e 8%, relacionando-se na maioria dos casos com lesões de múltiplos vasos.

El Impella otorga seguridad en la ATC del TCI no protegido de alto riesgo

A utilização dos dispositivos de assistência ventricular esquerda nas angioplastias de tronco coronarianas (ATC) de alto risco está se incrementando, mas ainda não há muita informação disponível neste grupo.


Leia também: A assistência prévia com Impella 2.5 diminui a mortalidade em 30 dias no choque cardiogênico por tronco de coronária esquerda não protegido”.


Foram analisados 127 pacientes de forma consecutiva que receberam ATC em TCI não protegido. O implante foi do dispositivo Impella 2,5 e Impella CP (76% e 24%).

 

A idade média foi de 70 anos (a maioria dos pacientes eram homens); a metade exibia insuficiência cardíaca em CF III-IV; a fração de ejeção foi de 28% e todos apresentavam múltiplas comorbidades. O STS de mortalidade e morbidade foi de 4% e 23% respectivamente. 19 pacientes apresentavam síndrome coronariana aguda (5 IAM com supradesnivelamento do ST). O escore de SYNTAX inicial foi de 31,4 ± 10,9 e o residual de 7,86 ± 8,08. O Impella foi implantado com sucesso em todos os pacientes.

 

O número de vasos com lesão > 50% foi de 2,1 ± 0,68 e o número de stents por paciente foi de 2,07 ± 0.97.


Leia também: Diante de anel pequeno, devemos começar a escolher a válvula?”


A mortalidade hospitalar e em 30 dias foi de 1,43% e 2,1%. Um paciente apresentou IAM e não houve nenhum caso de AVC. Não houve morte relacionada com o dispositivo. Cinco pacientes apresentaram sangramento maior que requereram transfusão e um teve uma complicação vascular que não requereu cirurgia. A presença de hematoma foi de 2,3%, insuficiência renal 0,79% e nenhum experimentou falhas no dispositivo, anemia hemolítica relacionada ou complicações valvares.

 

Conclusão

Este grande estudo retrospectivo de um só centro do registro USpella demonstra de forma categórica a segurança, eficácia e a utilidade hemodinâmica do Impella para as ATC do TCI não protegido, com MACE aceitável no âmbito hospitalar e em 30 dias.

 

Comentário

O mais importante desta análise é que demonstra que o Impella é factível e seguro para a ATC do TCI não protegido sem choque cardiogênico e de alto risco para cirurgia. Além disso, permitiu realizar uma revascularização, ficando com um SYNTAX residual < 8.

 

O implante deste dispositivo com anterioridade à ATC proporciona um suporte hemodinâmico para minimizar a isquemia miocárdica, assegurando uma boa perfusão durante o procedimento em pacientes com anatomia coronariana complexa.

 

Uma das limitações do dispositivo é sua disponibilidade e seu alto custo, restrições que limitam de forma significativa sua utilização.

 

Gentileza do Dr. Carlos Fava.

 

Título original: Real-World Supported Unprotected Left Main Percutaneous Coronary Intervention With Impella Device; Data From the USpella Registry.

Referência: Theodore Schreiber, et al. Catheterization and Intervention 2017;90:576-581


Gostaria de receber um resumo semanal com os últimos artigos científicos?








Sua opinião nos interessa. Pode deixar abaixo seu comentário, reflexão, pergunta ou o que desejar. Será mais que bem-vindo.

*

Top