A válvula balão-expansível se supera a si mesma

O objetivo deste trabalho publicado recentemente no J Am Coll Cardiol Intv foi comparar os resultados do implante percutâneo da valva aórtica (TAVI) com a nova Sapien 3 Ultra vs. a Sapien 3.

La válvula balón expandible se supera a sí misma

A taxa de implantes bem-sucedidos foi muito alta para ambos os dispositivos balão-expansíveis e a taxa de eventos adversos foi muito baixa também em ambos os casos. A Sapien Ultra, no entanto, superou significativamente a Sapien 3 no que se refere à taxa de regurgitação paravalvar.  

Ambas as válvulas são de pericárdio bovino, com um stent de cromo-cobalto e sistema de liberação de baixo perfil, e possuem uma grande força radial. A Sapien Ultra incorpora uma saia externa de polietileno que aumenta a altura do dispositivo em 40% e permite 50% mais de superfície de contato com a área da valva nativa com o objetivo de melhorar a selagem anular. O sistema de liberação também tem modificações. 

Este registro incluiu todos os pacientes consecutivos que receberam TAVI com Sapien 3 e Sapien Ultra entre 2014 e 2020. Foi utilizado propensity score para equiparar os grupos. 

Em total, ficaram 310 pacientes emparelhados (155 com cada dispositivo). Após a utilização do propensity score, não ficou nenhuma diferença nas características clínicas basais. 


Leia também: Dietas com baixos teores de carboidratos e progressão da calcificação coronariana.


Os procedimentos foram realizados mais frequentemente sob sedação consciente com a Sapien Ultra (97,4% vs. 71,6%; p < 0,001) e houve significativamente menos pré-dilatação (42,6% vs. 85,2%; p < 0,001).

Os resultados intra-hospitalares, incluindo sucesso do implante (91,6% vs. 95,5%; p = 0,165), complicações vasculares maiores (12,3% vs. 11,0%; p = 0,723) e implante de marca-passos (5.8% vs. 4.5%; p=0.608) foram comparáveis entre a Sapien 3 e a Ultra, respectivamente. 

O gradiente pós-procedimento foi similar (13,2 ± 5,7 mmHg vs. 13,1 ± 4,7 mmHg; p = 0,829) e a taxa de regurgitação paravalvar moderada a mais que moderada também (1,3% vs. 2,7%; p = 0,414).


Leia também: AHA 2020 | Anticoagulação pós-TAVI em pacientes com fibrilação atrial.


A diferença significativa a favor da Sapien Ultra se relacionou com uma taxa muito inferior de regurgitação paravalvar leve (menos da metade) em comparação com a Sapien 3 (18,7% vs. 43%; p < 0,001).

Conclusão

Com excelentes resultados em ambos os dispositivos, o acréscimo da saia de polietileno na Sapien Ultra conseguiu diminuir a menos da metade as regurgitações paravalvares leves. 

Descargar (PDF, Unknown)

Título original: Transcatheter Aortic Valve Replacement With Balloon-Expandable Valves Comparison of SAPIEN 3 Ultra Versus SAPIEN 3.

Referência: Tobias Rheude et al. J Am Coll Cardiol Intv 2020;13:2631–8. https://doi.org/10.1016/j.jcin.2020.07.013.


Gostaria de receber um resumo semanal com os últimos artigos científicos?

*

Top