Síndromes coronarianas agudas pós-TAVI: qual é sua frequência e malignidade?

Após o implante percutâneo da valva aórtica (TAVI) as síndromes coronarianas agudas são pouco frequentes e em sua maioria se apresentam como eventos sem elevação do segmento ST. Em tal contexto, os poucos casos que apresentam um infarto com elevação do ST têm um mal prognóstico, com aproximadamente 30% de mortalidade em um mês. 

Síndromes coronarios agudos post TAVI ¿Qué tan frecuente y que tan malos son?

Este trabalho incluiu pacientes submetidos a TAVI entre 2012 e 2017 e que foram admitidos por uma síndrome coronariana aguda durante o seguimento. 

De 142.845 pacientes analisados, 6741 (apenas 4,7%) consultaram novamente o hospital por uma síndrome coronariana aguda em um período médio de 297 dias. A metade dos pacientes consultou dentro dos 6 meses. 

A história de doença coronariana, revascularização prévia, diabetes, valve-in-valve e injúria renal aguda no momento do TAVI foram preditores de eventos coronarianos futuros. 

As síndromes coronarianas agudas com supradesnivelamento do segmento ST se associaram a uma maior mortalidade em 30 dias e em um ano em comparação com as síndromes sem supradesnivelamento (31,4% vs. 15,5% e 51,2% vs. 41,3%, respectivamente; p < 0,01).


Leia também: Uma dor de cabeça para os cardiologistas: isquemia com doença NÃO obstrutiva.


Um terço dos pacientes sem supradesnivelamento do segmento ST foram tratados de maneira invasiva. Esta estratégia se associou com uma menor mortalidade a longo prazo, mas também com um maior risco de revascularização repetida. 

Conclusão

Após o TAVI é infrequente que ocorra uma síndrome coronariana aguda e quando ocorre esta se apresenta como infartos sem supradesnivelamento do ST. Os poucos casos com supradesnivelamento do ST tiveram uma alta mortalidade a curto prazo

Título original: Incidence and Outcomes of Acute Coronary Syndrome After Transcatheter Aortic Valve Replacement.

Referência: Amgad Mentias et al. J Am Coll Cardiol Intv 2020, article in press. https://doi.org/10.1016/j.jcin.2019.11.027.


Gostaria de receber um resumo semanal com os últimos artigos científicos?

*

Top