Tag Archives: tratamento médico

AHA 2019 | ISCHEMIA-CKD: insuficiencia renal crónica y enfermedad coronaria estable

AHA 2019 | ISCHEMIA-CKD: insuficiência renal crónica e doença coronariana estável

AHA 2019 | ISCHEMIA-CKD: insuficiência renal crónica e doença coronariana estável

Dentre os pacientes do ISCHEMIA global, aqueles com insuficiência renal crônica são um subgrupo de especial alto risco. No entanto, do mesmo modo que ocorreu com a população geral do estudo, uma estratégia invasiva com coronariografia seguida de revascularização não melhorou os eventos  Segundo a apresentação do Dr. Bangalore durante as sessões científicas do AHA

Infarto agudo de miocardio y lesiones de múltiples niveles

IAMST em dissecções coronarianas: quando devemos tratá-la e quais são os seus resultados?

Gentileza do Dr. Carlos Fava. Geralmente, a dissecção coronariana (DC) é pouco frequente em mulheres jovens e apresenta melhor evolução com tratamento médico. No entanto, em certas ocasiões se associa à elevação do segmento ST. Em tal cenário, a angioplastia com implante de stent é um verdadeiro desafio. Foram analisados 4.298 pacientes que tiveram IAMST.

Medicação antianginosa antes e depois de uma recanalização

O incremento ou a redução da medicação antianginosa foi menos comum que a manutenção de todo o tratamento sem mudanças após uma recanalização de uma oclusão total crônica com pequenas variações. É necessário realizar mais estudos para saber que pacientes se beneficiariam ou não com estas drogas bem como desenvolver estratégias para ajustar o tratamento

TAVI en insuficiencia aórtica pura, nuevos dispositivos con nuevos resultados

A FDA afirma sinais de mortalidade com os dispositivos com paclitaxel

Evidentemente, não temos absolta clareza sobre o tema. A informação vai em outra direção (inclusive em nosso próprio site), expressando as idas e vindas no que se refere a esta informação nas principais publicações do mundo. Após dois dias de debate do painel da FDA dedicado a dispositivos do sistema circulatório fica confirmada a tendência

8 artículos sobre Oclusiones Crónicas Totales que no puede dejar de leer

Vale a pena o esforço: recanalização de oclusões totais vs. tratamento médico ótimo

A recanalização bem-sucedida de uma oclusão total crônica (hoje estamos ao redor de 90%) leva a uma melhora significativa da qualidade de vida e da frequência dos sintomas em pacientes com angina crônica estável vs. apenas o melhor tratamento médico. Esses resultados são animadores e realmente são os que queríamos receber, embora os sintomas, com

Se publicaron los resultados del estudio RESPECT con excelentes novedades

Resultados de longo prazo do estudo RESPECT favorecem a oclusão com o dispositivo Amplatzer.

Gentileza do Dr. José Álvarez. O estudo RESPECT é um trabalho multicêntrico e randomizado com adjudicação cega dos eventos. O mesmo randomizou pacientes entre 18 e 60 anos com Forame Oval Patente (FOP) e antecedentes de Acidente Vascular Cerebral (ACV) criptogênico a oclusão do óstio com dispositivo Amplatzer mais tratamento médico vs. somente tratamento médico (aspirina ou varfarina ou

EuroCTO: Recanalização vs. tratamento médico ótimo em oclusões totais

Gentileza da SBHCI As oclusões totais crônicas constituem aproximadamente 18% de todas as lesões coronarianas, porém alcançam somente 5% das intervenções já que muitos pacientes recebem somente tratamento médico. Este trabalho prospectivo, aberto e multicêntrico randomizou pacientes com lesões de múltiplos vasos, dos quais pelo menos um era uma oclusão total crônica. Ditos pacientes receberam

Oportunidades perdidas em pacientes com doença vascular periférica

Pouco se sabe no mundo sobre quão bem aconselhamos nossos pacientes com doença vascular periférica a respeito de medicação ou mudanças de estilo de vida. Habitualmente nossa conversa com esse tipo de pacientes gira em torno da factibilidade técnica de uma recanalização ou do risco eventual de uma amputação. Entretanto, quantas vezes aproveitamos a oportunidade

Risco de infarto a futuro em síndromes coronárias agudas manejadas de maneira conservadora

Título original: Spontaneous MI After Non–ST-Segment Elevation Acute Coronary Syndrome Managed Without Revascularization. The TRILOGY ACS Trial. Referência: Renato D. Lopes et al. J Am Coll Cardiol. 2016;67(11):1289-1297.   Os pacientes que são admitidos cursando uma síndrome coronária aguda (SCA) e especialmente aqueles manejados de maneira conservadora e sem revascularização estão expostos a um alto risco

Top