Sangramentos maiores em pacientes com AAS mais rivaroxabana

A combinação de doença coronariana ou vascular periférica mais alguma razão para estar anticoagulado – como poderia ser a fibrilação atrial – faz com que tenhamos muitos pacientes recebendo antiagregação com aspirina mais anticoagulação com rivaroxabana, por exemplo. 

Sangrados mayores en pacientes con AAS más rivaroxabán

É sabido que esta combinação (aspirina 100 mg por dia mais rivaroxabana 2,5 mg duas vezes por dia) reduz os eventos adversos cardiovasculares e a mortalidade, mas também aumenta o sangramento. 

Este trabalho, chamado COMPASS (Cardiovascular Outcomes for People Using Anticoagulation Strategies), recentemente publicado no JACC, avaliou a combinação de rivaroxabana mais aspirina comparada com somente aspirina quanto ao lugar do sangramento, momento, severidade e manejo dos sangramentos. 

Foram randomizados 18.278 pacientes à combinação de AAS mais rivaroxabana vs. somente AAS e seguidos por 23 meses. 


Leia também: ESC 2018 | MARINER: Rivaroxabana como tromboprofilaxia após uma hospitalização.


Em comparação com somente aspirina, a combinação aumentou os sangramentos maiores (1,9% vs. 3,1%; p < 0,0001), os sangramentos menores (9,2% vs. 5,5%; p < 0,001) e a necessidade de transfusões (1% vs. 0,5%; p = 0.0002).

O sangramento gastrointestinal foi o mais frequente dos sangramentos maiores (1,5% vs. 0,7%; p < 0,0001). Este aumento do índice de sangramento foi observado principalmente no primeiro ano da randomização. 

Um terço dos sangramentos gastrointestinais maiores foi gástrico ou duodenal, um terço foi colônico ou retal e em um terço não se pôde encontrar o lugar preciso. 


Leia também: Galileo: Rivaroxabana pós-TAVI suspensa pela taxa de eventos precoces.


Uma proporção similar dos pacientes que apresentaram sangramentos maiores (em ambos os ramos de tratamento) receberam plaquetas, fatores de coagulação e outros agentes hemostáticos. 

Conclusão

A combinação de rivaroxabana e aspirina em comparação com somente aspirina gerou um aumento dos sangramentos maiores, fundamentalmente do trato gastrointestinal, durante o primeiro ano da randomização, tendo sido os mesmos manejados com terapias de suporte convencionais. 

Título original: Major Bleeding in Patients With Coronary or Peripheral Artery DiseaseTreated With Rivaroxaban Plus Aspirin.

Referência: John W. Eikelboom et al. J Am Coll Cardiol 2019;74:1519–28.


Gostaria de receber um resumo semanal com os últimos artigos científicos?

Sua opinião nos interessa. Pode deixar abaixo seu comentário, reflexão, pergunta ou o que desejar. Será mais que bem-vindo.

*

Top