Tag Archives: rivaroxaban

AHA 2019 | GALILEO-4D: rivaroxabán y prevención de engrosamiento y trombosis de las valvas post TAVI

AHA 2019 | GALILEO: Rivaroxabana pós-TAVI, outra bela teoria que se choca contra a realidade

AHA 2019 | GALILEO: Rivaroxabana pós-TAVI, outra bela teoria que se choca contra a realidade

Em pacientes sem uma indicação formal para anticoagulação oral após o implante percutâneo bem-sucedido de uma valva (TAVI), a estratégia de tratamento com rivaroxabana 10 mg/dia se associou a um maior risco de morte ou de complicações tromboembólicas e, como se isso fosse pouco, com um maior risco de sangramento em comparação com a estratégia

AHA 2019 | GALILEO-4D: rivaroxabán y prevención de engrosamiento y trombosis de las valvas post TAVI

AHA 2019 | GALILEO-4D: rivaroxabana e prevenção de engrossamento e trombose das valvas pós-TAVI

Este subestudo do GALILEO se dedicou especificamente ao engrossamento e à redução do movimento normal das valvas pós-TAVI documentadas por tomografia 4D. O fato de a anticoagulação com rivaroxabana poder reduzir ou impedir este fenômeno era uma pergunta sem resposta até hoje.  Os pacientes receberam o mesmo esquema que no estudo geral (rivaroxabana mais aspirina

Sangrados mayores en pacientes con AAS más rivaroxabán

Sangramentos maiores em pacientes com AAS mais rivaroxabana

A combinação de doença coronariana ou vascular periférica mais alguma razão para estar anticoagulado – como poderia ser a fibrilação atrial – faz com que tenhamos muitos pacientes recebendo antiagregação com aspirina mais anticoagulação com rivaroxabana, por exemplo.  É sabido que esta combinação (aspirina 100 mg por dia mais rivaroxabana 2,5 mg duas vezes por

ESC 2019 | AFIRE: monoterapia de rivaroxabán en fibrilación auricular y enfermedad coronaria estable

ESC 2019 | AFIRE: monoterapia de rivaroxabana na fibrilação atrial e doença coronariana estável

Em pacientes com fibrilação atrial e doença coronariana estável que não foram submetidos a procedimentos de revascularização no último ano, a monoterapia com rivaroxabana é aparentemente a melhor estratégia de tratamento em comparação com o rivaroxabana mais antiagregação plaquetária. Essa é a conclusão do estudo AFIRE, apresentado durante as sessões científicas do ESC 2019 de

COMPASS: un nuevo lugar para el rivaroxaban en cardiopatía isquémica crónica

Galileo: Rivaroxabana pós-TAVI suspensa pela taxa de eventos precoces

Aqueles pacientes que receberam um implante percutâneo da valva aórtica (TAVI) e foram randomizados no contexto do estudo GALILEO a rivaroxabana apresentaram um risco maior de mortalidade por qualquer causa, eventos trombóticos e sangramento que aqueles pacientes que receberam terapia antiplaquetária. O estudo GALILEO foi detido depois da constatação nos dados de um pico precoce

MARINER: Rivaroxaban como trombo profilaxis luego de una hospitalización

ESC 2018 | MARINER: Rivaroxabana como tromboprofilaxia após uma hospitalização

Para pacientes hospitalizados por uma doença clínica aguda (por exemplo, insuficiência cardíaca) a indicação de rivaroxabana por 6 semanas e meia após a alta não reduziu significativamente o risco de tromboembolismo venoso sintomático.   A taxa de desfecho primário de eficácia foi baixa com 0,83% nos pacientes tratados com rivaroxabana vs. 1,1% dos que receberam

COMPASS: un nuevo lugar para el rivaroxaban en cardiopatía isquémica crónica

COMPASS: um novo lugar para o rivaroxaban na cardiopatia isquêmica crônica

A combinação de doses baixas de rivaroxaban e aspirina parece ser a melhor estratégia em pacientes com cardiopatia isquêmica crônica e estável segundo este novo estudo apresentado no ESC 2017 e publicado simultaneamente no New England Journal of Medicine. Comparado com doses baixas de aspirina somente, a combinação de aspirina e rivaroxaban reduziu o desfecho

Top