Anticoagulantes Antitrombóticos articles

TAVI SURAVI

Consenso europeu sobre o manejo antitrombótico no TAVI

Consenso europeu sobre o manejo antitrombótico no TAVI

Levando em consideração toda evidência controlada e randomizada publicada nos últimos tempos, era imperioso elaborar um documento para atualizar o manejo antitrombótico no TAVI.  Embora as complicações trombóticas e hemorrágicas tenham diminuído ao longo do tempo graças ao aperfeiçoamento da técnica e ao avanço dos dispositivos, ainda podemos considerá-las eventos comuns no implante percutâneo da

ACC 2021 | VOYAGER PAD: utilidad del rivaroxaban luego de una angioplastia periférica

ACC 2021 | VOYAGER PAD: utilidade da rivaroxabana após de uma angioplastia periférica

Os pacientes com doença vascular periférica submetidos a angioplastia em território dos membros inferiores se beneficiam com o tratamento com rivaroxabana segundo o estudo VOYAGER PAD apresentado nas sessões científicas do ACC 2021 e simultaneamente publicado no JACC. Os pacientes com doença vascular periférica não só apresentam um alto risco de eventos isquêmicos nos membros

ACC 2021 | ATLANTIS: Apixaban post TAVI vs tratamiento estándar

ACC 2021 | ATLANTIS: Apixabana pós-TAVI vs. tratamento padrão

Segundo o estudo randomizado ATLANTIS, apresentado hoje no congresso do ACC 2021, acrescentar apixabana ao tratamento dos pacientes submetidos a implante percutâneo da valva aórtica (TAVI) não foi superior ao tratamento antitrombótico padrão. Levando em consideração a fácil indicação e seu perfil de segurança, poderia ser uma opção aos antagonistas da vitamina K para os

pacientes anticoagulados por fibrilación auricular que reciben angioplastia tratamiento

O melhor anticoagulante em FA pós-TAVI

Os anticoagulantes diretos se associaram a uma menor mortalidade a longo prazo em pacientes com fibrilação atrial que recebem alta após o TAVI em comparação com os clássicos antagonistas da vitamina K.  O objetivo deste trabalho publicado no JACC Interv foi comparar os resultados a longo prazo entre os clássicos antagonistas da vitamina K e

Historia natural de la infección asintomática por COVID-19

A maior causa de injúria miocárdica por COVID-19 está dilucidada

A causa mais comum de necrose miocárdica em pacientes cursando uma infecção por COVID-19 são os microtrombos. No que se refere à composição, tais microtrombos são muito diferentes dos trombos obtidos de um paciente negativo para COVID-19 e dos trombos obtidos dos pacientes infectados que apresentam uma síndrome coronariana aguda. A injúria miocárdica é comum

Seguridad de combinar los nuevos anticoagulantes y la doble antiagregación

AAS vs. Warfarina em TAVI de baixo risco

Ainda estamos discutindo o regime antitrombótico adequando após o implante percutâneo da valva aórtica (TAVI). A isso se soma o enorme espectro de pacientes que estamos tratando, desde os de baixo risco até aqueles descartados de cirurgia.  E resta ainda um ponto importante: os engrossamentos hipoatenuados diagnosticados por tomografia. Não sabemos que impacto têm a

AHA 2020 | RIVER: Rivaroxaban como alternativa a la warfarina en pacientes con fibrilación auricular y protesis mitral biológica

AHA 2020 | RIVER: Rivaroxabana como alternativa à varfarina em pacientes com fibrilação atrial e prótese mitral biológica

O rivaroxabana parece ser uma alternativa razoável à varfarina em pacientes com fibrilação atrial e prótese mitral biológica. Estes resultados surgem do estudo RIVER apresentado no congresso AHA 2020 e simultaneamente publicado no NEJM. Depois de 5 anos de acompanhamento, o rivaroxabana alcançou o critério de não inferioridade em relação ao desfecho primário de morte,

ESC 2020 | El Rivaroxaban puede reducir los eventos cardíacos, cerebrales y periféricos

ESC 2020 | A rivaroxabana pode reduzir os eventos cardíacos, cerebrais e periféricos

Agregar rivaroxabana ao tratamento padrão pode reduzir a incidência de eventos em membros inferiores bem como de eventos cardíacos e cerebrais em pacientes com doença vascular que receberam revascularização.  Estes novos dados surgiram da análise de subgrupos do VOYAGER PAD e foram apresentados no congresso virtual da ESC 2020. O estudo COMPASS chegou a conclusões

Sangrados mayores en pacientes con AAS más rivaroxabán

Impacto sobre mortalidade com Rivaroxabana após a alta

Estender a duração da profilaxia tromboembólica com rivaroxabana em pacientes que foram hospitalizados por condições clínicas reduz em 28% os eventos fatais e tromboembólicos maiores sem pagar por isso um preço em sangramentos maiores. Os pacientes hospitalizados por condições clínicas correm o risco de apresentarem eventos tromboembólicos, motivo pelo qual a profilaxia durante a internação

Balancear el riesgo de sangrado vs trombótico para definir el tiempo de doble antiagregación

Antiagregar ou anticoagular após uma angioplastia periférica?

A verdade é que a pergunta acima não tem uma resposta categórica e o que fazemos com os stents periféricos é utilizar a evidência que temos dos stents coronarianos dada a falta de padronização e a escassez de relatos em relação à terapia antitrombótica nos estudos randomizados de tratamentos endovasculares.  Essa heterogeneidade provavelmente seja ainda

ACC Virtual 2020 | CARAVAGGIO: Apixaban en tromboembolismo venoso asociado al cáncer

ACC Virtual 2020 | CARAVAGGIO: Apixabana em tromboembolismo venoso associado ao câncer

A apixabana oral foi não inferior à dalteparina subcutânea para o tratamento do tromboembolismo venoso associado ao câncer sem que tenha sido observado um incremento dos sangramentos maiores.  As diretrizes mais recentes recomendam o uso de edoxabana ou rivaroxabana para o tratamento do tromboembolismo venoso associado ao câncer. No entanto, a evidência dos novos anticoagulantes

Top