Tag Archives: antiagregação

TAVI SURAVI

Consenso europeu sobre o manejo antitrombótico no TAVI

Consenso europeu sobre o manejo antitrombótico no TAVI

Levando em consideração toda evidência controlada e randomizada publicada nos últimos tempos, era imperioso elaborar um documento para atualizar o manejo antitrombótico no TAVI.  Embora as complicações trombóticas e hemorrágicas tenham diminuído ao longo do tempo graças ao aperfeiçoamento da técnica e ao avanço dos dispositivos, ainda podemos considerá-las eventos comuns no implante percutâneo da

Aspirina o clopidogrel post TAVI: Guías y estudios llenos de contradicciones

Aspirina ou clopidogrel pós-TAVI: guias e estudos cheios de contradições

Há um mês compartilhamos uma metanálise que colocava a aspirina como a melhor opção de antiagregação após o TAVI em comparação com a dupla antiagregação plaquetária de 3 a 6 meses que sugerem as diretrizes.  Naquele momento, a recomendação das diretrizes parecia obsoleta. Vários trabalhos tinham começado a se alinhar com a monoterapia como melhor

A monoterapia de AAS se consolida como estratégia de antiagregação pós TAVI

Esta metanálise que será publicada no J Am Cardiol respalda a evidência para indicar somente aspirina (AAS) após o implante percutâneo da valva aórtica (TAVI).  Indicar somente AAS se associa a menos sangramentos e, por outro lado, não implica um aumento de eventos isquêmicos (como os AVCs) ou da mortalidade.  Os resultados em conjunto de

Balancear el riesgo de sangrado vs trombótico para definir el tiempo de doble antiagregación

Antiagregar ou anticoagular após uma angioplastia periférica?

A verdade é que a pergunta acima não tem uma resposta categórica e o que fazemos com os stents periféricos é utilizar a evidência que temos dos stents coronarianos dada a falta de padronização e a escassez de relatos em relação à terapia antitrombótica nos estudos randomizados de tratamentos endovasculares.  Essa heterogeneidade provavelmente seja ainda

La complejidad de la angioplastia puede definir el tiempo de doble antiagregación

Monoterapia de ticagrelor um mês após o implante de um DES

O GLASSY é um subestudo pré-especificado do GLOBAL LEADERS que mostrou que a monoterapia de ticagrelor após um mês de dupla antiagregação é não inferior (mas não superior) ao tratamento convencional em termos de eventos isquêmicos. No que se refere à segurança, a monoterapia de ticagrelor não conseguiu reduzir os sangramentos maiores em comparação com

Sangrados mayores en pacientes con AAS más rivaroxabán

Sangramentos maiores em pacientes com AAS mais rivaroxabana

A combinação de doença coronariana ou vascular periférica mais alguma razão para estar anticoagulado – como poderia ser a fibrilação atrial – faz com que tenhamos muitos pacientes recebendo antiagregação com aspirina mais anticoagulação com rivaroxabana, por exemplo.  É sabido que esta combinação (aspirina 100 mg por dia mais rivaroxabana 2,5 mg duas vezes por

ACC 2019 | STOPDAPT-2: Monoterapia con P2Y12 luego de un corto período de doble antiagregación post angioplastia

ACC 2019 | STOPDAPT-2: Monoterapia com P2Y12 após um curto período de dupla antiagregação pós-angioplastia

A aspirina está na corda bamba: primeiro com a prevenção primária e agora inclusive no contexto de uma angioplastia, onde sua utilidade está sendo revisada e poderíamos estar diante de uma mudança de paradigma em relação à forma como conduzimos a antiagregação de nossos pacientes pós-angioplastia. Estes dois estudos, ambos apresentados nas sessões científicas do

ACC 2019 | SMART-CHOICE: la aspirina cada vez más “contra las cuerdas”

ACC 2019 | SMART-CHOICE: a aspirina cada vez mais “na corda bamba”

Este trabalho (que foi apresentado na mesma sessão do ACC 2019 que o STOPDAPT-2) incluiu 2.993 pacientes que receberam angioplastia com a atual geração dos stents Xience, Promus, Synergy ou Orsiro em 33 centros da Coreia. Ditos pacientes foram randomizados a receber 12 meses de dupla antiagregação vs. suspender a aspirina após 3 meses de

Top