Tag Archives: angioplastia coronariana

AHA 2020 | AFFIRM-AHF: Suplemento de hierro y menos hospitalizaciones por insuficiencia cardíaca

AHA 2020 | Efeito do evolocumabe em coronária complexa que requer revascularização

AHA 2020 | Efeito do evolocumabe em coronária complexa que requer revascularização

O evolocumabe, um inibidor do PCSK9, mostrou uma significativa redução do risco de desenvolver doença coronariana complexa que requer revascularização (seja angioplastia complexa ou cirurgia de revascularização miocárdica).  Os inibidores da pró-proteína convertase subtilisina/quexina tipo 9 (PCSK9) induzem regressão das placas e poderiam eventualmente reduzir a necessidade de revascularização, especialmente as revascularizações complexas.   O estudo

AHA 2020 | El riesgo aumenta cuando los operadores no “escuchan” al FFR

AHA 2020 | O risco aumenta quando os operadores não “escutam” o FFR

Quando a decisão de avançar com uma angioplastia é tomada apesar do resultado negativo do FFR (algo frequente na prática clínica diária) os resultados em 5 anos são muito piores. Esta informação surge de um grande registro canadense que foi apresentado nas sessões científicas da AHA 2020 e simultaneamente publicado no JAMA. Realizar uma angioplastia

Angioplastia em pacientes estáveis sem aspirina e com prasugrel: a inovação avançada

Os inibidores potentes do receptor P2Y12 como o prasugrel e o ticagrelor foram testados principalmente no contexto de síndromes coronarianas agudas. Há pouca evidência em pacientes estáveis, especialmente para o prasugrel. Desenhar um estudo com este propósito já parecia bastante desafiante, mas o fato de tirar a aspirina do esquema de dupla antiagregação em pacientes

TCT 2020 | Nueva información sobre el valor del FFR antes y después de la angioplastia

TCT 2020 | Menos sintomas e eventos ao otimizar com iFR

Os pacientes sintomáticos submetidos a angioplastia nos quais se constata a ausência de isquemia residual com iFR apresentam, em um ano, uma melhora sintomática superior àqueles em que não se realizou a otimização.  Para além dos sintomas, os pacientes que recebem otimização com iFR (medição final ≥ 0,95) apresentam menor mortalidade cardíaca, infarto espontâneo ou

perforación coronaria en angioplastia

Angioplastias complexas: características que se somam para impactar nos resultados

Os pacientes com maior número de características anatômicas que aumentam a complexidade da angioplastia coronariana têm piores resultados no seguimento de um ano.  Estes dados surgem de um grande registro multicêntrico (e-Ultimaster) que foi recentemente publicado no EuroIntervention. Por cada característica de complexidade que se acrescenta observou-se um aumento progressivo de eventos.  É importante não

ESC 2020 | A longo prazo os diabéticos se beneficiam com a cirurgia

Os dados deste registro do “mundo real” confirmam que a longo prazo os pacientes diabéticos com doença coronariana de múltiplos vasos se beneficiam com a cirurgia de revascularização miocárdica.  Segundo o Dr. Douglas S. Lee, autor principal do trabalho, a evidência é bastante contundente para recomendar cirurgia como primeira opção neste subgrupo particular de pacientes,

ESC 2020 | Trimetazidina post angioplastia: sin efectos adversos pero sin grandes beneficios

ESC 2020 | Trimetazidina pós-angioplastia: sem efeitos adversos mas sem grandes benefícios

A trimetazidina somada à terapia médica ótima em pacientes que recebem angioplastia coronariana não modifica eventos a longo prazo. O ATPCI foi apresentado no ESC 2020 e simultaneamente publicado na revista The Lancet. O estudo randomizou pacientes com síndromes coronarianas estáveis ou agudas SEM elevação do ST que receberam angioplastia a trimetazidina vs. placebo. Ambos

Podemos suspender a aspirina após uma angioplastia?

Descontinuar a aspirina após 1 a 3 meses de uma angioplastia para continuar com um inibidor do receptor P2Y12 reduz o risco de sangramento sem aumentar os eventos trombóticos. Esta afirmação é válida inclusive para os pacientes que são admitidos com uma síndrome coronariana aguda.  A dupla antiagregação plaquetária com aspirina mais um inibidor do

¿Son los stents con polímero bioabsorbible más trombogénicos que los de segunda generación con polímero durable?

ISAR-TEST-5: 10 anos dos DES com polímero vs. sem polímero

Segundo o estudo ISAR-TEST-5, recentemente publicado no J Am Coll Cardiol, 10 anos após o procedimento os pacientes com afecções coronarianas crônicas ou instáveis que foram revascularizados com stents farmacológicos têm resultados similares e muito bons para além da questão do polímero. Os desfechos orientados pelo dispositivo no seguimento de 10 anos ocorreram em 43,8%

oclusiones totales cronicas plataformas bioabsorbibles stents liberadores de droga

Stents em placas lipídicas vs. fibrocálcicas: diferente prognóstico?

A angioplastia coronariana com stents farmacológicos contemporâneos em placas ateroscleróticas ricas em lipídios não se relacionou com um aumento de eventos periprocedimento a longo prazo em comparação com as placas sem uma quantidade significativa de lipídios.  Este trabalho recentemente publicado no J Am coll Cardiol avaliou a associação entre as placas ricas em lipídios detectadas

Top