Tag Archives: monoterapia

ARTE: ¿AsEl fin de la aspirina para los pacientes anticoagulados que reciben angioplastiapirina o aspirina más clopidogrel post TAVI?

HOST-EXAM: O estudo que desafia a aspirina como antiagregante a longo prazo

HOST-EXAM: O estudo que desafia a aspirina como antiagregante a longo prazo

O estudo HOST-EXAM (prospectivo, randomizado e aberto, realizado em 37 centros de Coreia) foi especificamente desenhado para estabelecer o papel da aspirina como antiplaquetário de escolha a longo prazo após uma angioplastia com DES atuais. Para isso, o trabalho comparou cabeça a cabeça a aspirina com o clopidogrel.  Em quatro anos foram incluídos 5438 pacientes

Doctor con tabletas de aspirinas

Ainda há lugar para a aspirina depois do TWILIGHT-ACS?

Esta análise confirma o potencial benefício da monoterapia de ticagrelor após um curto período de dupla antiagregação plaquetária (DAPT) em pacientes que cursaram uma síndrome coronariana aguda (ACS).  Dito benefício se expressa em uma redução significativa dos sangramentos (3,6% vs. 7,6%; p < 0,001), sem que isso implique um comprometimento em termos de eventos isquêmicos

ACC 2021 | HOST-EXAM: Clopidogrel vs AAS como monoterapia post DAPT en las angioplastias

ACC 2021 | HOST-EXAM: Clopidogrel vs. AAS como monoterapia pós-DAPT nas angioplastias

Manter uma monoterapia de clopidogrel após um período de dupla antiagregação plaquetária (DAPT) se associou a uma redução da mortalidade, dos infartos, AVCs e de outros eventos em pacientes que são submetidos a angioplastia coronariana em comparação com continuar com monoterapia de aspirina (AAS). Esta informação surge do estudo coreano HOST-EXAM que foi apresentado durante

Aspirina o clopidogrel post TAVI: Guías y estudios llenos de contradicciones

Angioplastia em pacientes estáveis sem aspirina e com prasugrel: a inovação avançada

Os inibidores potentes do receptor P2Y12 como o prasugrel e o ticagrelor foram testados principalmente no contexto de síndromes coronarianas agudas. Há pouca evidência em pacientes estáveis, especialmente para o prasugrel. Desenhar um estudo com este propósito já parecia bastante desafiante, mas o fato de tirar a aspirina do esquema de dupla antiagregação em pacientes

A monoterapia de AAS se consolida como estratégia de antiagregação pós TAVI

Esta metanálise que será publicada no J Am Cardiol respalda a evidência para indicar somente aspirina (AAS) após o implante percutâneo da valva aórtica (TAVI).  Indicar somente AAS se associa a menos sangramentos e, por outro lado, não implica um aumento de eventos isquêmicos (como os AVCs) ou da mortalidade.  Os resultados em conjunto de

Top